Uma rachadura de 130 quilômetros na plataforma de gelo Larsen C, da Antártica, tem permanecido estável desde fevereiro, mas os cientistas agora detectaram uma nova, que está se estendendo a cerca de 10 quilômetros a partir da fenda principal. Parece apenas uma questão de tempo antes da plataforma de gelo de 3.200 metros quadrados mergulhar no oceano.

• Acabamos de descobrir que a Antártica está coberta de rios
• Março de 2017 só não foi mais quente que março do ano passado

Geólogos do Project MIDAS, um projeto baseado no Reino Unido que estuda os efeitos do gelo derretendo na plataforma de gelo Larsen C, têm monitorado a rachadura há vários anos, mas a fenda teve um recente salto de crescimento no último mês de dezembro, quando cresceu cerca de 20 quilômetros. Em janeiro, a rachadura aumentou mais dez quilômetros no decorrer de duas semanas. A plataforma de gelo Larsen C deve desmoronar, quando perderá mais de 10% de sua área de superfície (uma região de aproximadamente cinco mil quilômetros quadrados). A última observação sugere que esse evento monumental pode acontecer mais cedo do que imaginávamos.

eoye3ogd0plqy7femgfo

O local atual da fenda em Larsen C, em 1 de maio de 2017. (Crédito: Project MIDAS)

Um relatório do Project MIDAS mostra que, em 1º de maio de 2017, uma nova rachadura apareceu a partir da fenda. A fissura surgiu cerca de dez quilômetros atrás da ponta do canal principal e está indo em direção à borda da plataforma. “Essa é a primeira mudança significativa na fenda desde fevereiro desse ano”, os geólogos escreveram.

É inverno na Antártica, então as observações diretas são difíceis. Pesquisadores do Project MIDAS usaram um radar de abertura sintética (RAS) montado no satélite Sentinel-1, da Agência Espacial Europeia, para fazer as observações.

v5ibcrccehzsfuekuvpm

Velocidades do fluxo de gelo de Larsen C em fevereiro de 2017 e abril/maio de 2017, dados do Sentinel-1 da Agência Espacial Europeia

O comprimento da fenda principal não mudou nos últimos vários meses, mas tem alargado consistentemente, às vezes até um metro por dia. “Esse alargamento tem aumentado consideravelmente desde o desenvolvimento da nova rachadura, como pode ser visto pelas medidas do fluxo de gelo”, escreveram os cientistas do Project MIDAS. Isso sugere que a integridade da plataforma de gelo está ficando cada vez mais abalada.

A água e o ar mais quentes na região estão em grande parte causando as mudanças no gelo da região; a rachadura principal agora tem cerca de 450 metros de largura. Ainda não foi feita uma previsão do desmoronamento, que vai ser um dos maiores eventos do gênero já registrados, apesar de, como já explicamos antes, não contribuir diretamente com o aumento do nível do mar. Mas a nova rachadura mostra o quão rapidamente a situação está mudando, mesmo conforme o inverno avança.

[Project Midas]