O que Jeffrey Stephenson fez aqui foi pegar um conhecido (em alguns círculos) case de PC, o bizarro Thermaltake Level 10, e diminuí-lo a 25% do seu tamanho original (ele chama este case de Level 11). Plástico se torna madeira, acabamento em preto se torna prata, e os vários compartimentos são reconfigurados em algo que se parece mais com uma peça de mobília artesanal. Ali dentro, um processador VIA Nano e um conjunto de peças de netbook — apenas o suficiente para que se possa classificar a máquina como um media center HD.

Atualmente, este é o papel a que os chamados "desktops" estão destinados: ficar debaixo das nossas TVs ou ao lado de monitores muitas vezes maiores que eles, ligados a uma rede, servindo arquivos para o resto da casa. Os desktops agora precisam se misturar. [Dvice]