A Samsung anunciou três novos belos aparelhos da linha Wave, que rodam o sistema Bada da própria Samsung. O Wave 3, Wave M e Wave Y têm hardware bem interessante, mas mesmo na versão 2.0, o Bada não parece maduro o bastante para competir com Android e iOS. Vale a pena comprar um aparelho high-end com um OS low-end?

Primeiro, o hardware. O Wave 3 é o mais interessante, com design monobloco de alumínio anodizado e apenas 9,9mm de espessura. Ele conta com tela Super AMOLED de 4 polegadas e resolução 480×800, além de duas câmeras: uma traseira de 5MP com autofoco e flash LED, e outra frontal VGA. Por dentro, ele conta com processador de 1,4 GHz e armazenamento de 3GB.

O Wave M e Wave Y seguem a nova nomenclatura de aparelhos da Samsung. O Wave M é feito de alumínio e vidro temperado, tem tela LCD de 3,6″ 320×480 e as câmeras do Wave 3. Por dentro, ele roda um processador de 832MHz, e tem suporte a NFC. Ele é o primeiro aparelho da Samsung a vir com o serviço de mensagem multiplataforma ChatON da Samsung. Por sua vez, o Wave Y é mais simples, também com processador de 832MHz mas com tela menor (3,2″ 320×480) e apenas uma câmera de 2MP com flash. (As especificações completas estão aqui.)

O Bada também traz boas novidades: segundo a Samsung, ele tem melhoras na multitarefa, reconhecimento de voz, notificações push e Wi-Fi Direct. Além disso, o navegador ganha suporte a HTML5, e a interface fica ainda mais agradável com o novo TouchWiz. Agora, é possível colocar ícones na tela inicial (antes, eram só widgets) além de pastas, que abrem em uma bela animação com os ícones empilhados. Copiar e colar ficou melhor que na concorrência: agora você tem uma área de transferência, e pode escolher o que colar – até imagens!

Eu fiquei decepcionado com a experiência básica do Bada na versão 1.1: o navegador, app de e-mail e apps de redes sociais não são bons o bastante. Junte isso a uma oferta terrível de apps, e você tem uma plataforma entre o dumbphone e o smartphone. Mas por que investir em mais uma plataforma de celulares? A Samsung não quer criar um concorrente sul-coreano ao Android, como disseram alguns relatos – um ministro da Coreia do Sul foi apenas mal-interpretado. Pelo que mostra o vídeo a seguir com as novidades do Bada, o objetivo é a “democratização do smartphone”. Mas isso se consegue baixando preços, não com aparelhos high-end, certo?

O Bada 2.0 está bom o bastante? Estaremos na feira IFA em Berlim, onde os Waves e o Bada serão demonstrados oficialmente, e lhes traremos nosso veredito ainda esta semana. [Samsung via Gemind]