Agora que sabemos as informações oficiais do Galaxy S III, podemos ver o que mudou em relação aos modelos top de linha anteriores da Samsung. No hardware, este é basicamente um Galaxy X/Nexus com processador quad-core, tela Gorilla Glass 2 e bateria maior. E apesar do Ice Cream Sandwich ter sido retocado pelo TouchWiz, há muitas novidades no software bem além de retoques na interface.

Hardware

Quanto ao hardware, o Galaxy S III se inspira bastante no Nexus – veja aqui as fotos dos dois lado a lado – e evolui em alguns pontos-chave em relação ao Galaxy S II. Ele tem o novo processador quad-core de 1,4GHz que a Samsung anunciou semana passada, em vez dos dual-cores nos modelos anteriores. A combinação de CPU com chip gráfico promete desempenho até 65% maior que no GS2, de acordo com a Samsung.

A tela Super AMOLED HD com resolução 1280×720 é a mesma do Nexus, mas vem com o novo Gorilla Glass 2 – já vimos como ele é resistente. (O Nexus tem “vidro fortificado”.) A tela tem 4,8 polegadas, maior até mesmo que o Nexus. Isso deixa o Galaxy S III mais largo que os outros modelos, com 70,6mm. Pela foto ao lado, não parece tão fácil manuseá-lo com uma só mão, assim como o Galaxy Note (com enormes 83mm de largura).

Com 8,6mm de espessura e 133g, o novo Galaxy é levemente mais grosso e mais pesado que o Galaxy S II, porém é mais fino e um tiquinho mais leve que o Nexus. E mesmo assim, ele tem uma bateria bem maior, de 2.100mAh. Além das opções com 16GB e 32GB, o Galaxy S III tem o modelo de 64GB – e todos eles têm entrada para cartão SD (ao contrário do Nexus). Ele tem 1GB de RAM, assim como os outros modelos.

A câmera frontal ainda está lá, com 1,9 megapixels. E a câmera melhorou sensivelmente: são oito megapixels, com autofoco, HDR e flash LED. Mas as melhoras que a Samsung trouxe – fotos sequenciais, fotos enquanto grava vídeo – estão principalmente no software. Vamos dar uma olhada nisso agora.

Software

Segundo o Engadget, que fez hands-on no aparelho, o Ice Cream Sandwich do Galaxy S III é basicamente o mesmo do GS2 atualizado. Mas em vez de mudar mais a interface do ICS – o que não é realmente necessário – o foco da Samsung foi em trazer apps e funcionalidades bem específicas ao Galaxy S III.

A Samsung enfatiza bastante as “interações naturais”, como o Smart Stay: o aparelho usa a câmera frontal para rastrear os olhos do usuário, e desligar a tela quando você não estiver mais à frente do aparelho. O Smart Alert exibe ligações perdidas e notificações quando você pega o celular de novo: através do acelerômetro, ele sabe quando você o segura.

Também é através do acelerômetro que o novo Galaxy faz ligações: abra o contato e leve o celular ao ouvido – ele disca o número sozinho. O aparelho não tem botão de câmera, mas se você tocar e segurar na tela e colocar o aparelho na horizontal, ele abre o app da câmera.

A Samsung também demonstrou o S Voice, resposta ao Siri da Apple. Com ele, você pode destravar o celular, controlar a música e tirar fotos (dizendo “Xiiiiis!”). Assim como o Siri, o S Voice requer conexão de dados para funcionar – o processamento é feito na nuvem.

O processador quad-core mostra as caras no Pop Up Play: você pode tocar um vídeo no player padrão e deixá-lo rodando na frente de qualquer outro app. Assim, você assiste a vídeos em um dos cantos da tela enquanto usa o celular para outras tarefas.

O novo chip Exynos também deve estar por trás das melhorias na câmera de 8 megapixels: ela pode tirar fotos enquanto você está gravando um vídeo (de até 1080p); tira até 20 fotos sequenciais; e tem modo Best Photo. Nele, a câmera tira oito fotos consecutivas e escolhe automaticamente a melhor para você. A câmera tira fotos a até 3,3 fps.

Há diversas novidades para compartilhar conteúdo. O S Beam combina NFC e Wi-Fi Direct para compartilhar arquivos a até 300Mbps, de acordo com a Samsung. Segundo o Engadget, um arquivo de 10MB simplesmente saltou de um aparelho para outro. Infelizmente, o S Beam só está disponível no Galaxy S III.

O AllShare Play exibe suas fotos e vídeos na tela da TV sem usar fios, enquanto o AllShare Cast permite espelhar a tela do smartphone na TV – para jogos, por exemplo. As duas funções requerem que a TV tenha suporte a Wi-Fi Direct, em vez de DLNA (mas o celular tem suporte a DLNA também).

O que evoluiu

O foco do novo Galaxy S III esteve nas inúmeras pequenas melhorias via software. O hardware obviamente foi atualizado, mas não inclui nada fora do esperado, como uma tela Full-HD ou uma nova arquitetura no processador – o que, como falaremos mais tarde, não é realmente um problema. Agora resta a dúvida: vale a pena trocar um Galaxy S II ou Galaxy X/Nexus pelo novo Galaxy? O aparelho será lançado em 145 países, inicialmente na Europa já este mês, por preço ainda não divulgado. [Engadget 1, 2]

Fotos por Engadget