A Samsung criou seu próprio sistema operacional para celulares, chamado Bada, que até ultrapassou o Windows Phone em vendas. Mas do jeito que ele estava – com poucos apps e limitações do sistema em si – o Bada era apenas um dumbphone melhorado. A Samsung parece ter reconhecido isso: eles vão fundir o Bada ao Tizen, sucessor do MeeGo, e devem deixar o Bada puro apenas para aparelhos menos potentes.

Tae-Jin Kang, vice-presidente da Samsung, disse em entrevista à Forbes que a Samsung já está fundindo o Bada ao Tizen, que então terá suporte aos apps feitos para Bada. E mais: com SDKs e APIs comuns, se o desenvolvedor sabe criar apps para Bada, ele também saberá criar apps para Tizen. Bada e Tizen são semelhantes por serem baseados em Linux, mas a fusão entre os dois ainda não tem prazo para ser lançada.

O Tizen, por sua vez, já pode ser testado em versão alpha. Por enquanto, o SDK está disponível apenas para Ubuntu, mas segundo o site do projeto “a versão para Windows e Mac estará disponível em breve”. As primeiras imagens do Tizen estão abaixo (mais aqui). O Tizen, anunciado em setembro, é desenvolvido pela Intel e Samsung e hospedado pela Linux Foundation. A primeira versão do Tizen deve ser lançada até março, e os primeiros dispositivos com Tizen chegariam já na metade deste ano. Kang diz que a Samsung vai lançar “pelo menos um ou dois aparelhos” com Tizen este ano.

E o Bada? Segundo Kang, a Samsung ainda está decidindo como vai usar o Bada e o Tizen em produtos futuros, mas provavelmente o Bada ficará em celulares menos potentes, e quem sabe até em dispositivos que não sejam celular. O Tizen, por sua vez, “é mais adequado para dispositivos potentes que não rodam Android ou Windows Phone”, diz Kang. Ele também avisa: “o Tizen não vai se tornar a principal plataforma da Samsung tão cedo” – se você quer mais Andoids (ou Windows Phones) da Samsung, não precisa se preocupar. [Forbes via The Verge via Mário Aguilar]