Vários dispositivos têm suporte a DLNA para streaming de áudio e vídeo sem fios entre o smartphone/tablet e sua TV. Só que o DLNA sofre problemas de incompatibilidade, e nem sempre funciona. Então várias empresas se uniram para apoiar um novo padrão: o Miracast. Quais as vantagens?

O Miracast é um padrão para streaming sem fios de vídeo (não funciona só com áudio). Com ele, você pode transferir vídeo do smartphone para a TV, do laptop para o projetor, ou da set-top box para o tablet, por exemplo.

Mas, ao contrário do DLNA ou Airplay, ele não exige uma rede Wi-Fi: ele pode realizar streaming via Wi-Fi Direct, espécie de rede sem fio apenas entre os dois aparelhos, que não exige roteador.

O Miracast também quer eliminar um dos grandes problemas do DLNA: a interoperabilidade. Nem sempre é possível usar o DLNA entre dispositivos, seja devido a codecs incompatíveis ou à dificuldade na configuração. A Wi-Fi Alliance, que apoia o Miracast, diz que isso muda com o novo padrão:

Há codecs comuns que todos esses dispositivos podem suportar, resoluções comuns que todos eles suportam, mecanismos para negociar a melhor resolução possível entre dispositivos. Essa é toda a negociação adicional que precisa acontecer [entre dispositivos] para tornar a experiência de áudio e vídeo o mais simples possível para o usuário.

Então a Wi-Fi Alliance anunciou hoje seu programa de certificação para o Miracast, e grandes empresas já estão envolvidas. O Samsung Galaxy S III e o LG Optimus G já possuem a certificação, assim como as TVs Samsung Echo-P Series (que ainda não chegaram ao mercado) e dispositivos com Intel WiDi.

A Samsung já implementou uma versão do Miracast chamada AllShare Cast, só que ela funciona apenas entre dispositivos compatíveis da Samsung. Ao adotar o padrão Miracast, no entanto, o streaming de vídeo pode funcionar com dispositivos de outras marcas.

Parece que enfim teremos um concorrente à altura do AirPlay, e que funciona entre diversas marcas, mas teremos que esperar alguns anos até o Miracast de fato se difundir. [Ars Technica e The Verge via IntoMobile]