Concha Garcia, uma senhora de 87 anos, está conquistando a fama graças às pinturas que ela faz no Paint – sim, a ferramenta padrão presente em todo computador Windows de que a Microsoft quer se livrar.

A moradora de Valência, na Espanha, conta ao La Vanguardia que gosta muito de pintar. Ela, que costumava produzir pinturas a óleo até mais ou menos 2006, estava distante da arte pois passa muito tempo cuidando do marido doente, e o solvente da tinta cheirava muito forte – foi aí que ela recorreu a um computador, e tudo mudou.

“Meus filhos me presentearam com um computador, e descobri o Paint”, conta ela ao blog Verne, do El País. “Comecei desenhando uma casinha, algumas nuvens, coisas muito básicas.”

Concha Garcia em entrevista à Radio Valencia. (Créditos: Radio Valencia)

Garcia explica que as pinturas podem demorar de duas semanas a um mês para ficar prontas. “Tento focar nos detalhes”, conta. “Apago, começo de novo, apago mais uma vez…”

As pinturas são inspiradas nos postais que o marido de Garcia a enviava no passado, quando viaja muito por questões de trabalho.

A senhora diz que reserva dez obras ainda não compartilhadas e que está há mais de um ano com uma delas. As pinturas são, inclusive, feitas ponto a ponto no Paint. “Tenho muita paciência”, explica.

Garcia conta ainda que, apesar de seus cinco filhos e oito netos sempre gostarem muito de seus quadros, suas amigas não o compreendem muito bem. “Elas acham que os faço muito bem, mas não os entendem direito. Tenho que explicar, pois não sabem o que é o Paint”, diz.

E o que até então era algo privado, destinado apenas aos olhos de amigos e familiares, começou a conquistar o mundo a partir de outubro de 2017, quando suas netas abriram uma conta no Instagram para compartilhar as pinturas digitais produzidas por Garcia.

Hoje, com 18 publicações – sendo 17 destas pinturas feitas no Paint –, a conta do Instagram de Garcia possui mais de 106 mil seguidores, e todas as postagens ultrapassam as dez mil curtidas (algumas atingindo até mais de 40 mil).

Apesar da conta existir desde o ano passado, o auge de sucesso de Garcia começou no início deste mês, depois que foi entrevistada pela Radio Valencia, uma emissora local do município.

“Meu celular não parava de tocar”, diz. “Não sabíamos o que estava acontecendo. Inclusive me assustei um pouco.”

Ela não entende o porquê de tanto sucesso, acha até mesmo que suas pinturas são muito simples – ela reconhece, no entanto, que gasta bastante tempo nelas, especialmente nos detalhes. “Uma das que eu mais gosto é a porta com flores. As sombras são muito difíceis”, diz.

[La VanguardiaVerne]