A Microsoft liberou há pouco clientes oficiais do SkyDrive para Windows e OS X. Agora é possível acessar os arquivos da nuvem a partir de computadores convencionais, inclusive com a sincronia automática de arquivos tal qual Dropbox e Windows Live Mesh fazem. A notícia é boa, mas tem uma pegadinha. Fique tranquilo: ensinamos como escapar dela.

O SkyDrive para Windows e OS X lembra muito o Dropbox: ele fica residente na memória e na bandeja, cria uma pasta na do usuário do sistema e mantém tudo atualizado e sincronizado com a nuvem e outros dispositivos vinculados. O download é rápido, a instalação é fácil e basta inserir as suas credenciais do Windows Live para que a sincronia comece.

As boas novidades na solução para nuvem da Microsoft traz apenas uma ruim: o espaço gratuito diminuiu. Antes de 25 GB, agora é de 7 GB, mais do que a concorrência (2 GB no Dropbox, 5 GB no iCloud), mas… né? É uma queda considerável. Por tempo limitado, porém, a Microsoft oferecerá um “upgrade gratuito” para os 25 GB. Basta entrar nesta página, autenticar-se e escolher a primeira opção. Caso queira ainda mais espaço, há planos com preços bem competitivos para até 100 GB.

O Windows Live Mesh, programa parte do Essentials que faz basicamente o que o SkyDrive agora faz porém com menos espaço (5 GB), continua ativo e não é sobrescrito pelo novo programa. As principais diferenças entre ambos, além do espaço, é que o Mesh permitia sincronizar qualquer pasta do sistema e dava acesso entre computadores do usuário. No SkyDrive, uma única pasta é sincronizada e no lugar do acesso remoto entra a busca e download por arquivos, inclusive a partir do Windows Phone e iOS — basta ativar a opção durante a instalação ou, depois, nas configurações. Outra regalia do Live Mesh, a sincronia de dados do IE e Office, não existe no SkyDrive. [Building Windows 8]

Planos de armazenamento no SkyDrive.