Muito se fala recentemente da Internet of Things: ou seja, dispositivos conectados à internet que podem – em alguns casos – ser monitorados ou até controlados à distância. Isso vai desde Smart TVs a geladeiras que tuítam. Mas e se eles tiverem falhas de segurança? Bem, pode ter certeza que alguém vai aproveitá-las.

Segundo a empresa de segurança Proofpoint, 750 mil e-mails de spam foram enviados em um ataque cibernético realizado por mais de 100.000 dispositivos conectados à internet. Entre eles, estavam computadores, media players, TVs inteligentes e pelo menos uma geladeira conectada à internet – todos zumbis cumprindo ordens de hackers. O ataque durou duas semanas, indo até 6 de janeiro.

Obviamente, uma enxurrada de spam é algo indesejável, mas especialistas em segurança estão mais preocupados com o que isso significa para a internet das coisas. Mais de 25% do spam foi enviado por estes dispositivos “inteligentes” conectados à internet.

“Botnets já são uma grande preocupação de segurança, e o surgimento de thingbots pode tornar a situação muito pior”, disse Dave Knight, gerente de segurança da Proofpoint. A IDC acredita que 212 bilhões de objetos estarão conectados à internet até 2020, ultrapassando em vários múltiplos a população humana.

Se geladeiras já estão causando problemas, imagine quando todo mundo tiver lâmpadas ativadas via Wi-Fi e fechaduras abertas com o smartphone. Como prevenir isso? Precisamos criar uma infraestrutura de segurança melhor do que temos agora, para evitar que ataques a esses dispositivos se espalhem. Não será fácil, mas certamente é o desafio daqui para a frente. [Proofpoint via Quartz]

Imagem via Samsung, apenas para fins ilustrativos; a marca da geladeira infectada não foi revelada pela Proofpoint