Em termos ergonômicos, o Sensei, da SteelSeries, é idêntico ao modelo anterior. A atualização está por dentro do brinquedo: um processador ARM de 32-bit que dobra o máximo de DCPI de 5.700 para 11.400.

(O termo padrão da indústria para sensibilidade é DPI, o dots per inch, mas a SteelSeries prefere usara o DCPI, counts per inch — mas, no fim das contas, quanto maior o número, mais sensitivo o mouse é. Em níveis altos como 10.000 DPI, se você respirar perto do mouse, a setinha pode percorrer seis monitores em um segundo). Mas ele não é feito só de sensbilidade, e também conta com 8 botões, 3 zonas com iluminação que pode ser programa para cores específicas, e até configuração direto no mouse por meio do menu em LCD embutido. Loucura, né? Chega em setembro às lojas dos EUA, por US$90.