Enquanto o Departamento de Justiça dos EUA investiga se a Apple e o Google fizeram ou não um acordo secreto para não roubar funcionários um do outro, surge mais uma suspeita: a de que Jobs teria proposto uma negociação similar à Palm. Mas não conseguiu.

De acordo com a Bloomberg, Jobs propôs o acordo ao então CEO Ed Colligan após a Palm empregar o chefe da divisão do iPod na Apple, Jon Rubinstein.

“A sua proposta de concordarmos que nenhuma companhia contratará os empregados da outra, independente dos desejos do indivíduo, é não apenas errada, é provavelmente ilegal”, disse Colligan a Jobs, 54, de acordo com as comunicações. Colligan disse que ele pensou na proposta de Jobs e considerou oferecer concessões de contratação, antes de decidir contra ela, de acordo com as trocas.

Na cara! É claro, Steve não via problemas em roubar emegados da Palm – a Apple já contratara 2% de sua força de trabalho para desenvolver o iPhone. Mas e quando os lados se invertem? Negócios por baixo do pano! [Bloomberg via Silicon Alley Insider; imagem deste concurso de Photoshop]