Acredite ou não, a Amazon está tendo um pouco de dificuldade com sua ideia de “loja super futurista sem funcionários”. O último relato vindo de Seattle alega que o conceito Amazon Go será adiado por causa de algumas dificuldades técnicas. Basicamente, os computadores ficam muito confusos quando as pessoas fazem compras.

• O fundador da Amazon está muito animado com seu traje gigante de robô
• O erro de um único engenheiro da Amazon foi o que derrubou a internet

Honestamente, a ideia de um supermercado inteligente que te permite “apenas sair andando”, sem ter que ficar em uma fila para o caixa, é futurista demais. Não é surpresa alguma que haja alguns problemas. Fontes não reveladas recentemente contaram ao Wall Street Journal sobre alguns deles. O jornal relata:

A Amazon teve problemas ao acompanhar mais de 20 pessoas na loja ao mesmo tempo, além de dificuldades de manter o controle sobre itens que tivessem sido movidos de seu lugar específico na prateleira.

Nossa! Um grupo de 20 pessoas nem é tanta gente assim, e qualquer número de pessoas em um mercado é garantia de que as coisas serão embaralhadas nas prateleiras. Isso não significa que a tecnologia não funcione nem um pouco. Eis o que o Wall Street Journal também escreve:

Por enquanto, a tecnologia funciona perfeitamente apenas se houver um pequeno número de clientes presente, ou quando seus movimentos são lentos.

Vai, pode rir. Uma loja que chega a seu limite quando uma porção de pessoas está presente e que não consegue acompanhar esses clientes a menos que estejam se movendo lentamente é objetivamente hilário.

A loja Amazon Go que está passando por esses problemas é uma versão beta do conceito lançado em dezembro passado, e ninguém esperava que tudo fosse funcionar perfeitamente. Parece que a estimativa original da Amazon de abertura para o público no começo de 2017 foi ambiciosa demais. Afinal, a empresa espera grandes públicos quando suas lojas dignas de manchete abrirem para as pessoas. Essa abertura não será muito boa se os computadores não funcionarem quando há muitas pessoas nos corredores ou quando elas se movimentam muito rapidamente.

Por enquanto, teremos que esperar para ver como Jeff Bezos e seus colegas farão os ajustes ao software para que as pessoas não saiam roubando sanduíches a torto e a direito. A Amazon Go é uma ideia legal, mas não muito sensata se a Amazon não conseguir cobrar as pessoas pelo que elas estão comprando.

[Wall Street Journal]

Imagem do topo: Divulgação/Amazon