Uma alternativa mais curvada e plástica ao iPad. Foi essa a impressão que tirei do mais recente protótipo de tablet com Android da Nvidia. Ele é bonito. Mas por dentro ele é ainda melhor.

Isso porque, dentro deste tablet de 8,9 polegadas, está o Nvidia Tegra 2, cuja parte principal é um processador ARM Cortex A9 dual-core – um chip uma geração à frente do processador A4 do iPad – ou seja, este tablet vai ser muuuuuito rápido. Ele também tem 1GB de RAM (a maior limitação técnica do iPad agora é a pequena quantidade de memória), além de duas portas USB e uma câmera frontal.

Dado que ambas as unidades que usamos estavam rodando somente um app cada – jogos de chamar a atenção – é difícil dizer como será usar este tablet de forma geral, como a câmera frontal e a tela widescreen funcionam fora de um jogo. Mas os jogos estavam ótimos, como é se de esperar com um hardware desses. Eu só queria que a tela, capacitiva e multitoque, não refletisse tanto a luz como um iPad. Fazer o quê.

Nenhum dos desenvolvedores que estavam à nossa disposição sabiam quando o tablet seria lançado, apenas que ele seria lançado, um dia. Ele não é um Notion Ink Adam, com belas especificações mas ainda ausente do mercado – afinal, ele já está disponível, ou quase.