Graças a milhões e milhões de anos de evolução, as tartarugas marinhas funcionam. E funcionam bem. Elas conseguem nadar suavemente pelos oceanos, deslizando entre pedaços de coral, se isso for preciso. Tendo isso em mente, não é de se admirar que essas criaturas tenham sido a inspiração para os mais recentes robôs submarinos.

O U-CAT vem da Estônia, mas foi feito para o fundo do mar. Com nadadeiras desenhadas a partir daquelas das tartarugas, estes carinhas foram construídos para se ajustar nos mais estreitos cantos e fendas de navios naufragados e tirar fotos nítidas. “Robôs submarinos convencionais usam propulsores para locomoção”, diz Taavi Salumäe, o designer do robô biomimético, num press release. “As barbatanas propulsoras do U-CAT conseguem levar o robô para todas as direções sem perturbar a água e sem agitar o lodo do fundo, o que iria diminuir a visibilidade dentro do navio.”

Este não é o primeiro robô a pegar algo emprestado das tartarugas marinhas, mas seu tamanho reduzido e sua construção relativamente barata têm grandes implicações para o campo da arqueologia submarina. Enquanto ele não descobre nada de interessante, nós nos contentamos com o hipnotizante vídeo do robozinho dançando debaixo d’água. [Discovery]