O último teste americano com armas nucleares foi conduzido na atmosfera em 4 de novembro de 1962. O site Topic conseguiu algumas imagens classificadas deste período, e elas mais se parecem com primorosas artes macabras.

O Topic também conta a fascinante história por trás destas novas fotos, e algumas são de outro mundo. O site explica, por exemplo, que o Departamento de Defesa e a Comissão de Energia Atômica dos Estados Unidos eram muito rigorosos com a documentação visual dos testes entre o final da Segunda Guerra Mundial e os testes nucleares Fishbowl, em 1962. “Dezenas de unidades de fotografia e cinematografia eram despachados para vários locais do mundo, armados com quase todo tipo de câmeras disponíveis, para capturar imagens que poderiam ser analisadas e usadas tanto para fins científicos quanto para relações públicas e propostas de storytelling — o diagnóstico e o documentário”. O artigo diz também que a Força Aérea Americana manteve um estúdio secreto em Los Angeles para avaliar e editar o material.

As explosões aconteceram no espaço para determinar quão viável seria disparar um míssil nuclear do espaço. A resposta? É muito, muito difícil, mesmo depois de a DARPA descobrir como construir telescópios que corrigiam as distorções da atmosfera nos anos 1980.

Um dos pontos mais convincentes do artigo explica como fotos antigas de explosões nucleares e outros testes do tipo podem distanciar humanos modernos dos horrores que somos capazes. Por isso precisamos pensar bem em que caminho estamos andando.

Trump e Kim-Jong-um estão tornando o mundo um local menos seguro. E estas fotos antigas podem se tornar a nossa realidade se não tivermos cautela. Mas acho que até morrermos em uma bola de fogo, podemos apenas apreciar estas estranhas e envolventes imagens.

Imagem de topo: Cortesia do Laboratório Nacional de Los Alamos; Departamento de Energia dos Estados Unidos/Topic

[Topic]