Apesar de estarmos sempre usando os nossos cérebros, dificilmente fazemos alguma coisa para mantê-los em boa forma. Juntamos aqui dez maneiras, práticas e sites para exercitar os seus músculos mentais.

10. Sudoku

Você provavelmente já conhece Sudoku, aquela espécie de palavras-cruzadas com números. Muita gente considera um jogo divertido e viciante, e não é difícil encontrar instruções online sobre como jogar. Jogando isso, você pode melhorar a sua capacidade de observação e resolução de problemas com base em análise de fatores externos (não apenas a sua saúde cerebral). Dá para jogar online, no iPhone/iPod/iPad, no Facebook, no Android e em praticamente qualquer plataforma imaginável. (NT.: Se você tem um Nintendo DS e não vai muito com a cara de Sudoku, tente um jogo chamado Picross DS ou Picross 3D. Acho bem mais divertido e igualmente estimulante.)

9. Wikipedia:Random

O Wikipedia:Random é simplesmente um modo de acessar um artigo qualquer da Wikipedia. Você pode aprender sobre uma coisa nova todos os dias, e isso faz bem para a cabeça. O novo Qwiki, uma mini enciclopédia visual que lê para você, também é bacana para isso, já que todo dia manda um email com o artigo do dia para quem for cadastrado. [Wikipedia:Random]

8. Matemática simples todos os dias

Talvez você tenha passado, na escola, pela obrigação de resolver o máximo possível de problemas matemáticos em menos de um minuto. Por mais chato que fosse, trata-se de uma prática excelente, que você pode retomar agora. Online, você pode usar o Mad Math Minute Generator, ou imprimir uma destas. O fim da história é o seguinte: um minuto que seja resolvendo probleminhas matemáticos é um ótimo exercício para o cérebro, além de fazer com que você seja cada vez menos dependente da calculadora.

7. Escreva em vez de digitar (pelo menos um pouco)

Nós adoramos os nossos teclados. Eles são muito mais eficientes em colocar palavras em uma página do que as nossas mãos segurando uma caneta. Mas (infelizmente?) já foi comprovado que aprende-se melhor quando escreve-se a respeito de algo à moda antiga, por isso talvez seja melhor dispensar o notebook em aulas ou ambientes de aprendizado. Isso acontece porque o sistema de filtragem do nosso cérebro, o Sistema Ativador Reticular, processa aquilo em que estamos prestando atenção, e o ato de escrever ativa o SAR. O seu cérebro sabe melhor que é hora de prestar atenção.

6. Aja como se estivesse dando aula

Você pode utilizar melhor as habilidades que já tem se estiver agindo como um professor. Em vez de apenas tentar lembrar os passos que você precisa completar para terminar uma tarefa, finja que você está ensinando para você mesmo como fazer aquilo. Isso ajuda a lembrar de todas as informações necessárias e a evitar erros burros.

5. Conte histórias para si mesmo

Contar histórias pode ser uma boa maneira de exercitar o cérebro. Primeiro, isso facilita a lembrança de certas coisas, porque coloca em uma luz melhor aquilo que você vai querer lembrar. Você tem a chance de focar nos detalhes mais importantes e associar emoções com aquilo que você quer lembrar. Mesmo que você não esteja contando uma história para si mesmo, você pode melhorar a sua memória de modo geral contando histórias diversas a pessoas diversas. O ato de contar histórias está sendo usado como tratamento contra o Mal de Alzheimer. Se isso pode ajudar a melhorar a memória de um paciente de Alzheimer, provavelmente pode te ajudar também.

4. Lumosity

O Lumosity (em inglês) é um webapp que traz atividades especializadas em treinamento cerebral. Você pode usá-lo de graça, mas há contas premium (que você pode experimentar por 5 dias de graça) com um leque maior de opções. Todos os exercícios são simples de entender e divertidos de jogar. Os meus tiveram muito a ver com memória, provavelmente porque eu especifiquei “melhorar minha memória” como um dos meus objetivos ao iniciar. Digo isso para demonstrar que os exercícios do Lumosity podem variar dependendo das informações que você der. Quando você termina os exercícios, recebe uma pontuação que torna mais fácil o objetivo de comparar e ir melhorando o seu desempenho. [Lumosity]

3. Medite

Nada é tão efetivo em matar a sua capacidade de usar bem o seu cérebro como o stress. Qual a melhor maneira de combater o stress? Meditação. Você não precisa fazer com incenso, mantras indianos e roupa de ioga. Basta sentar no chão, sobre uma duas almofadas, com as pernas cruzadas em paralelo e os joelhos apoiados no chão, e ficar quieto por algo em torno de 15 minutos, focando na sua respiração. O Lifehacker até fez um guia para iniciantes.

2. Aprenda os principais erros do seu cérebro e leve-os em conta

Em um post anterior, nós falamos sobre as maneiras que o seu cérebro te sabota, e como vencê-lo. Também já listamos como evitar cansaço extremo causado pelo vício em tecnologia, como se tornar mais inteligente admitindo que você não é grande coisa, como tirar proveito da sua tendência natural a desistir das coisas, entre outros assuntos. Basicamente, o seu cérebro faz muitas coisas muito bem, mas não é bom com um monte de outras. Talvez você não consiga fazer ele ser bom no que ele não é, mas pelo menos estar ciente dos seus defeitos inerentes pode te ajudar a tirar vantagem do seu potencial cerebral completo.

1. Faça exercícios e coma bem

Apesar de ser óbvio (e algo sobre o qual já falamos), eu acredito que o número de pessoas cientes de que isso não passa de bom senso é bem próximo do número que não segue esse bom senso. Se você não está se exercitando e comendo bem porque não sabe como fazer isso bem, veja este programa de 15 minutos diários de exercício de 1904, e estruture a sua dieta diária como uma pirâmide. Não é tão difícil, nem tão caro (às vezes é mais barato do que comer você come atualmente), e tudo o que você fizer para melhorar o seu cérebro não vai adiantar de nada se o seu compro não estiver saudável. Mens sana, corpore sano.

Estas são as nossa sugestões. Quer sugerir algo também? Fique à vontade.