O Twitter, serviço de rede social que deu ao mundo uma presidência de Donald Trump nos Estados Unidos e uma arma potente da Nova Guerra Fria, anunciou que apresentou lucro líquido pela primeira vez na história da empresa. As ações do Twitter subiram nos leilões de pré-abertura.

• Finja surpresa: algumas celebridades compram seguidores no Twitter
• Redes sociais vão ter que agir mais rápido na Alemanha contra quem fala groselha

Porém, embora os lucros estejam subindo, o número total de usuários no Twitter continua horizontal. E a principal razão disso? O Twitter conduziu uma expurgação em massa de contas falsas, isso sem falar na forma como passou a expulsar os nazistas que tornaram o site seu lar por tanto tempo.

“O último trimestre foi um encerramento forte do ano”, Jack Dorsey, CEO do Twitter, disse em um comunicado. “Voltamos ao crescimento da receita, conquistamos nosso objetivo de rentabilidade GAAP, aumentamos nossa cadência de envio e chegamos a cinco trimestres consecutivos de crescimento de usuários ativos diários na ordem de dois dígitos.”

“Estou orgulhoso do progresso constante que tivemos em 2017 e confiante em nosso caminho à frente”, acrescentou.

E o que tudo isso significa? Significa que o Twitter, que tem perdido dinheiro desde sempre, enfim apresentou lucro no último trimestre, para a surpresa dos céticos. A única pergunta agora é se ele consegue realizar esse tipo de mágica novamente.

O Twitter relatou ter 330 milhões de usuários, o que é quase o mesmo que no trimestre anterior. Antes, o crescimento de usuários havia subido, então qualquer número de usuários estagnado deixa os investidores nervosos em relação ao futuro da empresa. Mas esse último trimestre foi de limpeza na casa, expulsão de contas fakes e suspensão dos disseminadores de ódio mais perversos do site.

Pessoas como o supremacista branco Richard Spencer e o teórico da conspiração Mike Cernovich permaneceram ativos no site, mas muitas vozes tóxicas foram silenciadas, incluindo gente como Baked Alaska, um neonazista que esteve no comício de supremacistas brancos em Charlottesville, na Virgínia, no ano passado, que resultou na morte de uma mulher. A história de Baked Alaska, cujo verdadeiro nome é Tim Gionet, mostrou o quão perigosas as comunidades online marginais podem se tornar quando levam seu ódio para o mundo real, como vimos em Charlottesville.

Executivos do Twitter, sem dúvidas empolgados por terem alcançado rentabilidade pela primeira vez na história, estão otimistas com o futuro.

“Estamos contentes com nosso desempenho em 2017 e nosso retorno ao crescimento de receitas no último trimestre”, disse Ned Segal, CFO do Twitter, em um comunicado à imprensa.

“A receita total no último trimestre cresceu 2% em relação ao ano passado, e as receitas de publicidade própria cresceram 7% em relação ao ano passado, impulsionadas pelo forte crescimento contínuo de engajamento, pelas melhorias em nossos produtos de receita, pelo retorno melhor para os anunciantes e pela melhor execução de vendas.”

O Twitter, como um serviço, ainda tem muito a percorrer se quiser ganhar um bom dinheiro para seus investidores, mas esse último trimestre pode provar que está mesmo no caminho certo.

Imagem do topo: Getty