Nos últimos três meses, a rede social favorita do presidente norte-americano Donald Trump cresceu em zero (0) usuários nos Estados Unidos, de acordo com o último relatório de ganhos do Twitter. Isso é 66 milhões de usuários a menos que o Facebook acrescentou no mesmo período, e nove milhões menos do que o próprio Twitter havia acrescentado no primeiro trimestre do ano.

• Quase 90 mil sex bots invadiram o Twitter, enganando milhões de pessoas
• Twitter também acha que o futuro está nos vídeos

No entanto, se você está preocupado com a chance de o Twitter fechar do nada, não precisa. A empresa conseguiu bastante dinheiro vendendo anúncios no último trimestre e, embora ainda não tenha descoberto como transformar sua infinita torrente de conteúdo de usuários em lucros de verdade, o serviço não está exatamente derretendo.

De acordo com os registros do Twitter, cerca de dois milhões de pessoas nos Estados Unidos se cansaram no trimestre passado e pararam de usar o site. Aproximadamente 70 milhões de pessoas nos EUA, cerca de 22% da população, usaram o Twitter durante o primeiro trimestre de 2017. No segundo trimestre, entretanto, o número caiu para 68 milhões. Isso é grande. O Twitter não vê uma queda como essa nos Estados Unidos há anos, se é que já viu (os registros mostram apenas os detalhes de 2015 em diante).

Enquanto isso, no restante do mundo, o Twitter cresceu em modestos um milhão de usuários (para cerca de 260 milhões). Procurada, a assessoria do Twitter no Brasil informou que “a empresa não divulga números locais”.

A rede não consegue ser convincente para a maioria usuários. Diz que abriu caminho para combater problemas de assédio, mas ainda não acabou com o hábito de dar de ombros para violações evidentes de suas próprias políticas de uso, incluindo até mesmo por parte de, você pode dizer, Donald Trump.

Conforme o inferno (e o ruído no) do Twitter aumentou nos últimos anos, parece que quase todas as outras pessoas no Planeta com um smartphone decidiram que não há motivo para se juntar à rede social. A companhia diz que está focada em “tornar o Twitter o melhor lugar para ver e compartilhar o que está acontecendo, onde você pode ver todos os lados e perspectivas”. Mas talvez a empresa já tenha esgotado a população de seres humanos que estão dispostos a se submeterem a essa experiência em tempo real.

[Recode]

Imagem do topo: Twitter/Gizmodo