O Uber firmou um acordo multibilionário liderado pelas empresas de investimento Softbank e Dragoneer. O acerto, que pode chegar a US$ 10 bilhões nas próximas semanas, não só dará à Softbank um papel importante no Uber – a empresa estuda adquirir pelo menos 14% da companhia de carona –, mas também ajudará a encerrar uma das muitas batalhas do novo CEO Dara Khosrowshahi.

O Uber fez uma investigação interna e encontrou vários problemas debaixo do tapete
Novo CEO do Uber é refugiado do Irã e era considerado azarão na disputa pelo cargo

De acordo com o New York Times, os termos do acordo incluem a suspensão do processo da companhia de capital de risco Benchmark contra o antigo CEO do Uber, Travis Kalanick. A Benchmark, que é dona de 13% do Uber, processou o antigo CEO por fraude, quebra de contrato e quebra de dever fiduciário em uma iniciativa para limitar a influência de Kalanick sobre a empresa de caronas.

“Entramos em um acordo com um consórcio liderado pela SoftBank e pela Dragoneer em um potencial investimento”, disse o Uber em comunicado enviado ao Gizmodo nesta segunda-feira (13). “Acreditamos que este acordo é um voto de confiança a longo prazo no potencial do Uber. Assim que fechado, o acordo ajudará a trazer investimentos em tecnologia e em nossa contínua expansão em casa e no exterior, além de fortalecer nossa governança corporativa.”

O processo Benchmark-Kalanick está quase encerrado, mas ainda não é uma vitória clara para o ex-CEO do Uber. O acordo do SoftBank adicionará seis novos diretores ao conselho e eliminará o voto especial em um certo tipo de ação da companhia, o que reduzirá a autoridade de Kalanick sobre o conselho.

O Uber é avaliado em aproximadamente US$ 70 bilhões, o equivalente a mais dinheiro que qualquer outra startup no mundo. Mas talvez a companhia precise deste meio-termo tanto quanto precisa de uma nova onda de investimentos. Sob a liderança de Kalanick, uma série de escândalos perseguiu a companhia, com diversas investigações federais e processos que atingiram a liderança de Dara Khosrowshahi. Na pior das hipóteses, esse acordo significará que Khosrowshahi pode riscar um embaraçoso processo de sua lista.

Resta saber se muito dano foi feito ao Uber durante a liderança de Kalanick – independentemente disso, este acordo marca um novo passo para manter a paz entre ele e os investidores da empresa. Agora, o Uber só precisa garantir que seu antigo líder mantenha o bom comportamento.