O Uber gosta de rastrear coisas – concorrentes, policiais, você. Mas agora a empresa está tentando limpar a reputação, dando aos usuários um pouco de sua privacidade de volta.

A companhia planeja eliminar um recurso que permite rastrear usuários por até cinco minutos após o fim do passeio, disse o chefe de segurança do Uber, Joe Sullivan, à Reuters. A mudança vai ser, alegadamente, lançada para os usuários do iPhone esta semana, com a intenção de disponibilizá-la para os usuários do Android eventualmente.

Ao final de 2016, o Uber alterou as configurações de privacidade do app para rastrear passageiros mesmo depois do fim da viagem com o carro da empresa. Anteriormente, passageiros tinham a opção de permitir que o aplicativo coletasse dados apenas enquanto eles o utilizassem. A atualização de novembro de 2016 eliminou isso, apenas proporcionando aos usuários a opção de ter o aplicativo rastreando-os “Sempre”ou“Nunca.” Usuários protestaram contra a modificação e, quase um ano depois, parece que o Uber resolver agir. Tenho certeza que um dilúvio de escândalos e inúmeras matérias sobre as terríveis práticas da companhia na imprensa não tem nada a ver com a súbita mudança.

Inclusive, a real responsável por esta mudança pode ser a Apple. Com o lançamento do iOS 11, a empresa irá forçar aplicativos a fornecer a opção “somente quando usar” no compartilhamento de localização que o Uber havia previamente removido. Isso também pode explicar por que o Uber está lançando a mudança só para os usuários do iPhone no momento.

O Uber vem há meses sendo noticiado como uma empresa ruim, associada inclusive a um grande número de casos de invasão de privacidade. Em março, foi revelado que a empresa estava usando um programa de software interno chamado “Greyball” para espionar autoridades policiais que investigavam o aplicativo. Em abril,  The Information relatou que a empresa usava um programa chamado Hell para monitorar motoristas do Lyft que também dirigiam para o Uber, priorizando os motoristas que usaram os dois para atraí-los de volta para o Uber.

Eliminar o invasivo recurso que rastreia usuários após o término da viagem mostra sinais de que o Uber está levando a privacidade do usuário um pouco mais a sério, mas isso não significa que a empresa não vai colher os seus dados no futuro. Ela só poderia ser um pouco mais transparente sobre isso. Sullivan disse à Reuters que, se a empresa decidir rastrear usuários novamente depois que suas viagens acabarem, o Uber permitirá a eles fazer esta opção, além de deixá-los saber por que essa informação é valiosa para a empresa.

Imagem de topo: Getty

[Reuters]