O telescópio espacial Hubble, tão próximo e querido a nós do Gizmodo que somos adoradores do espaço, está prestes a ser tunado, cortesia da Atlantis. Os astronautas também estão instalando dois novos gadgets que a MSNBC diz possuir "superpoderes". E está bem precisa a informação.

E o upgrade vem bem a calhar também, já que esta viagem será a última que a NASA solicitará ao Hubble. Mas chega de notícia triste: que lance é esse de "superpoderes"?

O primeiro poder é o da "visão três-em-um", fornecido pela Wide Field Camera 3 (WFC3), que permitirá que o Hubble enxergue o espectro da luz simultaneamente de ultravioleta a infravermelho. O gadget também confere ao Hubble a capacidade de enxergar "teias de aranha distantes" que se esticam e conectam as galáxias. Estas novas habilidades devem se dobrar ou triplicar à velocidade em que a NASA descobre supernovas distantes.

A outra adição, chamada de Espectrógrafo de Origens Cósmicas (COS), custa 70 milhões de dólares e separa a luz ultravioleta com um descaso que chega a ser impulsivo. O que antes levava 10 órbitas terrestres agora levará apenas uma. Objetos extremamente turvos que levavam um ano para observar adequadamente agora serão catalogados em semanas.

Não é de se surpreender que ambos os gadgets, usados em conjunto com a tecnologia atual do Hubble, estão programados par buscarem energia e matéria escura. Ah, e planetas alienígenas também:

"Por exemplo, você pode vir a conseguir enxergar se a atmosfera de um planeta possui hidrogênio, carbono ou oxigênio nela", disse Ken Sembach, cientista do projeto Hubble do Instituto de Ciência Telescópica Espacial em Baltimore.

A NASA espera que os primeiros dados destes novos instrumentos cheguem até o dia 7 de setembro (neste ano, Dia do Trabalho nos EUA). [MSNBC]