Minha caixa de entrada está explodindo com notificações do Google+. Eu abri o Gmail de manhã e parecia que ele tinha sido sequestrado por um vilão das notificações, me avisando de todos os novos seguidores, comentários e fotos do Google+. Quem se importa com isso?

O Google abriu aos poucos a porteira da rede social ontem à noite, e um mar de novos usuários adentrou o Google+. Hoje, antes de desligar as notificações por e-mail, minha caixa de entrada ficou assim:

É meio caótico. E, para ser sincero, pode ser o necessário para alguém desistir completamente da novidade. Ou pelo menos isso acontece comigo! Mas por outro lado, as redes sociais são como um investimento, e o tempo gasto na parte de configurações vale a pena se pensarmos a longo prazo. E todos esses e-mails? São pessoas, oras. São relacionamentos. E, mais além, são como um novo começo. Reserve alguns minutinhos para cuida disso antes que seja tarde.

Pense no Facebook. A rede tentou mudar as configurações de privacidade tantas vezes que apenas com as Listas de Amigos é possível controlar verdadeiramente o que você publicará e ter um pouco de privacidade. Mas se você já gastou um pouquinho de tempo nas configurações do Facebook, essas listas já estão cheias de amigos que merecem ver suas coisas — e você não quer mexer nisso de novo.

Já o Google+ é um papel em branco. Você pode começar um mundo novo, sem ter de carregar o peso de uma rede social que você já configurou. Dessa vez, reserve um tempinho para organizar seus contatos em Círculos que façam sentido desde o início e, quem sabe, você não terá uma rede social muito mais útil que permitirá o compartilhamento com toda sua rede de forma privada e apenas para aqueles que devem ver tais coisas.

O lado bacana do Google+ é que não é preciso ser recíproco com o afeto dos outros. Como no Twitter, as relações podem ser assíncronas. No Facebook, nós temos que concordar mutuamente que somos “amigos” para podermos ver as informações completas. Uma pessoa manda um pedido de amizade; outra aceita ou ignora. No Twitter, as ambas as partes não precisam dançar essa valsa. E o Google+ é bem parecido com isso.

Você receberá um monte de notificações de pessoas compartilhando coisas com você. Não bufe por causa disso. Você pode adicioná-las a um círculo, ou simplesmente não fazer isso. Mesmo que você não os coloque em algum lugar, eles continuarão podendo ver suas atualizações públicas. Da mesma forma, você também poderá ver as atualizações deles, no nível de privacidade que eles tiverem escolhido para você, por meio da Incoming Stream.

Mas invariavelmente seus amigos, e talvez familiares, estarão lá. O Facebook começou como uma rede para estudantes, e quando ela foi aberta para todos, metade do mundo começou a ter problemas com suas mães. Do nada, todas as mães podiam ver atualizações de seus filhos falando que ficaram completamente malucos na noite anterior.

Elimine essa dor de cabeça criando vários círculos, e organize rigorosamente as pessoas assim que elas forem chegando. Assim, sua mãe só verá suas atualizações no círculo Família, apenas seus amigos reais poderão ver seu endereço quando você publicar o convite de uma festa, e seus amigos nerds e geeks só poderão ver seus links e reclamações sobre iOS, Android e afins.

Ah, e mais uma dica? Vá em seu perfil, clique no botão editar, clique em seus círculos, e desmarque a caixinha que diz “Mostrar as pessoas que adicionaram você aos seus círculos”. Assim, ninguém saberá que você deu uma esnobada e ignorou um pedido de compartilhamento.