Recentemente, descobrimos que os brasileiros falam pouco ao celular, e apesar das várias promoções de bônus, o preço das tarifas ainda é o culpado. Existe um jeito mais barato de falar ao celular: usando o Skype. Ele está presente nas grandes plataformas de smartphone – iPhone, Android e Symbian. E os planos de dados estão ficando cada vez mais acessíveis no pré-pago. Será que é possível abandonar o plano de voz e usar só o Skype num smartphone pré-pago? Fizemos o teste; eis os resultados.

Quem iria querer ligar do Skype, em vez de usar um plano de voz? Poderia ser alguém com um smartphone mas que raramente use o celular para telefonar, e que tenha um plano de dados pré-pago, ou que esteja quase sempre no Wi-Fi. Neste caso do Wi-Fi, na verdade, você nem precisaria de um smartphone: um iPod Touch de última geração já seria o bastante – afinal, ele vem com microfone. (O Lifehacker ensina como transformar seu iPod Touch 4G em um iPhone; vale a pena conferir.) Ou pode ser alguém como eu, que está no pós-pago, tem plano de dados, mas quer economizar nas ligações DDD. Nestes casos, usar o Skype parece uma boa alternativa.

Como telefonar do Skype para telefone fixo ou celular

Antes de mais nada: o Skype avisa que “não substitui seu telefone convencional, nem pode ser usado para chamadas de emergência”. E o Skype, como qualquer serviço, pode sofrer panes. Felizmente, seu celular ainda faz ligações se você precisar ligar pra alguém ou discar 190.

Ligar de Skype para Skype é de graça, mas ligar para telefones fixos e celulares tem um custo. Vale a pena pagar as tarifas do Skype? Vejamos: as tarifas são R$0,618 por minuto para celulares e R$0,159 para fixos (é mais barato se o fixo estiver em SP ou no RJ) – confira as tarifas aqui. Não existe interurbano no Skype: as tarifas são as mesmas para o Brasil inteiro. Compare isto com as tarifas da Vivo no pré-pago (em SP): R$1,58 por minuto para fixo e celulares; R$1,35 para celular da Vivo; e ainda mais para ligações interurbanas. A diferença de preço é de, no mínimo, 118%! Então ligar via Skype pode representar uma boa economia. (Se você tem bônus para falar com a mesma operadora, pode usá-los e, quando acabar, usar o Skype.)

Pra começar, você precisa criar uma conta no Skype e comprar créditos. Você pode comprá-los de todo jeito: cartão de crédito, transferência bancária, boleto, até PayPal. O mínimo são 10 euros mais impostos: no Brasil, você paga 34%, levando a um total de €13,40 ou R$30. Desse valor, você terá €10 de crédito, ou R$22,50. (Se você tem cartão de crédito internacional, pode dizer que mora em outro país e pagar menos impostos.) Mas vale a pena gastar tudo isso? Bem, você gasta menos que os planos “controle” das operadoras, e você pode usar esses créditos por muito tempo: o crédito Skype fica ativo por 180 dias após seu último uso – ou seja, faça uma ligação hoje, e seus créditos expiram só daqui a 180 dias.

Depois, você precisa baixar o app gratuito do Skype para seu smartphone ou iPod Touch. A Skype nos forneceu três aparelhos para testar o serviço: um iPhone 3G, um Milestone e um Nokia 5800. É interessante ver como o Skype reflete o sistema de cada um dos três aparelhos: o app para iPhone é elegante e seu visual se integra no sistema; o app para Android tem interface um pouco bagunçada (por exemplo, não é óbvio como se desconectar do Skype) e tem alguns bugs; e o app para Symbian tem aquele visual “retrô”, mas funcional, do sistema. Baixados os apps, é só começar a ligar.

Testes

Fiz várias ligações, para fixo e celular, locais e interurbanas, no 3G e no Wi-Fi, usando os três aparelhos que a Skype nos emprestou. Os três aparelhos usaram a rede da Oi, não conhecida por sua qualidade no estado de São Paulo; mas na cidade de São Paulo, estive quase sempre no 3G (o que não diz muita coisa, OK). Pela minha experiência, a qualidade de ligação dependia mais da conexão usada do que do celular – o 5800 parecia ter uma qualidade de ligação levemente melhor, no entanto.

No 3G, as ligações não consumiam muitos dados: pelo monitoramento que fiz no Android, cada ligação consumia de 0,25 a 0,45MB de dados. Como você provavelmente liga pouco por mês, estourar limite de dados não deve ser um problema.

No Wi-Fi, as ligações podem começar ruins, mas melhoram: a pessoa por vezes não entendia o que eu dizia nos primeiros segundos, mas logo a coisa andava. (Meu Wi-Fi não é rápido, só 1Mbps; quanto mais rápido, mais fluida a ligação.) No 3G, o serviço funciona razoavelmente bem: fiz vários interurbanos via Skype, para economizar na conta, e consegui me comunicar bem na maior parte das vezes.

Fazer ligações do celular via 3G é possível e por vezes funciona bem, mas quando um serviço tão básico – voz – não simplesmente funciona, pode ser um pouco frustrante. Às vezes, você ouve uma voz robótica e metálica vindo da outra pessoa (como “Oi Fwwwwwwlipe, twwwwwwwdo bem?”); acontecia de a pessoa ouvir o eco da própria voz; às vezes minha voz não chegava do outro lado da linha; e surgia com clareza um dos grandes problemas das ligações por VoIP: o lag.

Há uma demora, às vezes perceptível, entre o que você fala e o que a pessoa do outro lado da linha ouve. E, em geral, o lag é maior no 3G do que no Wi-Fi. A pessoa fala uma coisa, aí você responde; mas até sua resposta chegar do outro lado, fica um silêncio pra quem está ouvindo. A pessoa vai começar a falar de novo, e sua resposta vai chegar em cima, cortando o que ela dizia. O lag não é gigantesco, mas uma demora de um segundo fez toda a diferença.

Ou seja, ligações via 3G até funcionam; mas quando falham, são um pouco frustrantes.

Então, se você usa o Skype no celular, principalmente no 3G, pode acabar ficando com uma solução amadora na hora de fazer ligações – algo que, como disse, deveria simplesmente funcionar. Quando entrevistei o Mauricio Villar do PedalUSP via celular, comecei usando o Skype via 3G; mas eram tantos os problemas (eco, lag) que resolvi fazê-la em uma ligação convencional mesmo. Você paga menos, mas a qualidade pode ser inferior. E se você cair do 3G pro EDGE, aí o Skype se torna inviável.

A solução do Skype é mais viável se você tiver acesso quase constante ao Wi-Fi: em casa, na faculdade e no trabalho, por exemplo. Este é o argumento que muita gente usou para defender a compra de um smartphone sem plano de dados – pra que pagar por 3G, quando sempre posso arranjar Wi-Fi? Se você conseguir mesmo, usar o Skype parece ser a melhor pedida. Se você estiver em uma rede 3G veloz e com boa cobertura, vale a pena usar o Skype também.

Recebendo ligações via Skype no seu celular

Se você está sempre no 3G ou Wi-Fi e recebe ligações de outras cidades com frequência, o Skype tem uma solução: o Número Online. Basicamente, você compra um número de telefone com DDD de outra cidade: assim, quem ligar pra você paga apenas uma ligação local, e a ligação chega via Skype. (Você pode comprar números em outros países também, para receber ligações de parentes no exterior.)

O serviço está disponível para os códigos de área das seguintes cidades: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Caxias do Sul, Curitiba, Joinville, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos, São José dos Campos e São Paulo. Para adquirir um número online, você precisa pagar €17,25 (cerca de R$39); o número será válido por três meses, e você pode renová-lo quantas vezes quiser. As formas de pagamento são as mesmas para comprar crédito de ligação.

Eu moro em São Paulo, mas recebo muitas ligações de Santos, então comprei um número com DDD 13. O número é sempre de um telefone fixo, então a economia é grande: quem me ligar, em vez de fazer um interurbano para celular, fará uma ligação local para fixo. Eu não pago nada a mais pelo serviço (só a assinatura).

Para receber as ligações, você precisa estar sempre com o app do Skype aberto no seu celular, e sempre logado. Caso você perca uma ligação, não tem problema: o Skype avisa você na hora, via e-mail, quem ligou e quando. Para receber ligações, você só precisa deixar o app do Skype ativo: como o iPhone, Android e Symbian têm suporte a multitarefa, deixá-lo rodando no plano de fundo já basta. Se você receber uma ligação enquanto usa outro app, ou quando o celular estiver bloqueado, vai aparecer uma janela do Skype para você aceitar ou recusar o telefonema.

E como é a qualidade das ligações? A história é a mesma de fazer telefonemas via Skype: o que importa é a velocidade da conexão, então receber interurbanos é perfeitamente viável no Wi-Fi, mas pode ter qualidade horrível se você estiver no 3G.

VoIP no celular: ainda é o começo

Pelos testes que fizemos, fica claro que o Skype só pode substituir os planos de voz (pré-pagos ou pós) em situações bem específicas: se você ligar pouco, tiver smartphone e acesso quase constante a Wi-Fi, ou a uma boa rede 3G. A velocidade e cobertura do 3G no Brasil ainda é insuficiente para ser viável depender do VoIP no dia a dia, seja fazendo ligações, seja recebendo.

Mas isto pode ser questão de tempo. Com a chegada do 4G aos consumidores finais no Brasil, o que deve acontecer nos próximos anos, podemos esperar nos próximos anos uma popularização do acesso, da mesma forma que ocorreu, em apenas dois anos, com o 3G. A liberação de mais bandas para o 3G e investimentos na qualidade da internet móvel também ajudam. Enquanto isto não acontece, o jeito é ligar do seu smartphone tocando no ícone do telefone, e deixando o app do Skype para situações específicas – ou para o futuro.

Foto por Thomas Lieser/Flickr