A Microsoft tem batido na tecla de que o design tem papel de destaque no desenvolvimento do Windows 8 e versões preliminares do sistema provam que isso é verdade. mas até agora, nós só vimos o Windows 8 em alguns dispositivos e a Microsoft promete que a experiência Metro será uniforme independente do tamanho da tela ou formato dos equipamentos. Mas… como?

Em outra enorme dissertação no MSDN publicada pelo gerente de programa de UX David Washington, são comentados três pontos-chave na jornada da Microsoft para materializar a promessa: frameworks de layout adaptativo, dimensionamento automático com variação da densidade de pixels e suporte a SVG (scalable vector graphics).

Layouts adaptativos

O uso de CSS3 e XAML pela Microsoft permitirá aos desenvolvedores seccionar apps em módulos pré-definidos que podem ser reorganizados em tempo real. Isso garante que o conteúdo preencherá tanto uma tela com 1024 pixels de largura, quanto uma de 2560 pixels. Isso também significa que os desenvolvedores precisarão ter em mente esses formatos a partir do momento em que começarem a trabalhar em seus apps.

Dimensionamento automático da densidade de pixels

Quando você aumenta a densidade de pixels, as coisas ficam bem pequenas na tela a menos que você amplie tudo um pouquinho. Em vez de oferecer mais área útil na tela, os elementos dispostos na tela ganham em fidelidade. A Microsoft é capaz de realizar isso em diferentes tamanhos e resoluções de tela dividindo as telas em três categorias — padrão, HD e quad-XGA — e estabelecendo fatores de escala.

“Muitos tablets Windows 8 terão densidade de pixels de pelo menos 135 DPI — muito maior do que a maioria de nós está acostumada. Claro que nós vislumbramos a entrada de tablets HDcom resolução de 1080p em telas de 11,6″ com densidade de pixels de 190 DPI ou tablets quad-XGA com 2560×1440 na mesma tela de 11,6″; isso dá uma densidade de pixels de 253 DPI. A densidade de pixels pode aumentar ainda mais em proporções menores e telas menores como a vista no novo iPad. Na medida em que a densidade de pixels cresce, o tamanho físico dos objetos na tela diminui. Se o Windows não fosse feito para acomodar diferentes densidades de pixels, objetos na tela seriam tão pequenos para serem facilmente tocados ou lidos nesses tablets.

Para aqueles compram essas telas com alta densidade de pixels, queremos assegurar que seus apps, textos e imagens serão bonitos e usáveis nesses dispositivos. Desde o início nós exploramos continuamente o dimensionamento da densidade de pixels, o que manteria o tamanho de um objeto em polegadas, mas descobrimos que a maioria dos apps usam imagens bitmap, o que poderia borrá-las quando esticadas ou encolhidas a tamanhos não previstos. Em vez disso, o Windows 8 usa escalas em porcentagens pré-definidas para garantir que o Windows se apresente bem nesses dispositivos. Existem três escalas de porcentagens no Windows 8:

100% quando nenhum dimensionamento é aplicado;
140% para tablets HD
180% para tablets quad-XGA”

Scalable Vector Graphics

O suporte nativo a SVG facilitará o trabalho dos desenvolvedores de criar elementos que se ajustem automaticamente às várias resoluções e densidades de pixels sem qualquer código adicional deles. Se um desenvolvedor não quiser se aventurar com arquivos SVG, ele tem a alternativa de salvar múltiplas imagens do mesmo arquivo para o app chamar de acordo com o tamanho da tela, ou usar comandos CSS3, que irão automaticamente redimensionar o arquivo. De qualquer forma, tudo isso dá a certeza de que o visual do app será o mesmo independente do tamanho da tela.

No geral, a Microsoft tem ideias espertas aqui e será interessante ver como os desenvolvedores as abraçarão quando o Windows 8 chegar ao grande público, no fim do ano. [Microsoft]