William Castleman fez um ótimo vídeo do eclipse lunar que ocorreu ontem, durante o solstício de inverno. As imagens, o vídeo e o fenômeno foram simplesmente espetaculares. Como nem todos no Brasil puderam ver o ocorrido – ou esqueceram de acordar no meio da madrugada – vale a pena conferir.

Como acabamos de passar pelo solstício de inverno do Hemisfério Norte, o fenômeno foi facilmente visto dos EUA, do Canadá, da Europa e da América Central. Mesmo assim, vários brasileiros registraram o eclipse, que ocorreu por volta das 4h30. O problema é que quando o eclipse começou a pegar de vez, com direito ao efeito avermelhado que apavorou tanta gente, o céu começou a clarear no país e toda a magia foi embora.

Por que a Lua ficou vermelha?

Não, não é o cor do Sol. Esse avermelhamento da Lua é nada menos do que cada nascer e pôr do sol no céu da Terra. Como a Terra lança suas sombras e a luz do Sol atinge toda a Terra, a atmosfera brilha em vermelho. Esse brilho – que pode ser visto em um dia comum – ilumina a superfície da Lua, tragado pela sombra da Terra.

De acordo com a NASA, “o extrato da cor depende do que está flutuando ao redor da atmosfera da Terra. Após uma erupção vulcânica, por exemplo, a poeira e as cinzas podem colorir o pôr-do-sol com um vermelho vívido. A Lua também brilha com a mesma cor. Por outro lado, o excesso de nuvens extinguem o pôr-do-sol, criando eclipses mais escuros e difíceis de se observar.”

Então, não, a Lua não ficou da cor de sangue como um sinal do Apocalipse, não rolaram sacrifícios humanos, e gatos e cachorros ainda se odeiam. Pelo menos por enquanto.