Ontem, o Google surpreendeu a todos anunciando que vendeu a Motorola por US$ 2,91 bilhões. Até então, parecia que eles estavam bastante empenhados em fabricar smartphones. Infelizmente, não é o caso – e os novos acordos com a Samsung só reforçam isto.

Desde o início, estava claro que o Google queria a Motorola pelas patentes, para se defender na guerra judicial contra Apple e outras. (A Lenovo comprou a empresa, mas não levou as patentes.)

Bem, esta semana, Google e Samsung anunciaram um acordo para licenciar patentes entre si por dez anos. Isso inclui tanto as atuais, como a propriedade intelectual futura que ambas criarem. O objetivo é “reduzir o potencial de litígio e se concentrar em inovação”.

Depois do Moto X e Moto G, a Motogoogle nos fez acreditar que seguiria a estratégia de smartphones potentes, feitos para todos, com melhoras no Android e atualizações rápidas. Era algo que, se continuasse no futuro, poderia tornar redundante a linha Nexus.

No entanto, especialmente após a aquisição da Motorola, Google e Samsung passaram a se distanciar. Isso não é bom para o futuro do Android, já que a coreana concentra a maior parte das vendas – e do lucro – do sistema. Ela já ameaça apostar em alternativas como o Tizen, que deve aparecer na Mobile World Congress.

A Samsung começou até mesmo a alterar a identidade visual do Android: com a Magazine UX, ele parece o Windows 8!

samsung tabpro notepro

Parece que, para o Google, este foi o fim da picada. Mas isso pode acabar: uma fonte diz ao Recode que “o relacionamento entre Google e Samsung passou por uma mudança gigantesca e radical nas últimas semanas”.

O acordo começou a se delinear durante a feira CES. Segundo o Recode, a coreana deixará de alterar tanto a interface do Android:

… não só a Samsung considerará abandonar ou alterar a interface Magazine UX em dispositivos futuros, como novos dispositivos da Samsung vão destacar a suíte de apps do Google para obter filmes, músicas e outros conteúdos, em detrimento de seu software próprio…

O ReadWriteWeb especula que a venda da Motorola aconteceu “talvez para satisfazer a Samsung”. Mesmo se fosse apenas mera coincidência, isso agradaria a mais empresas. Afinal, o Google tinha duas escolhas:

1) disputar contra os parceiros, trazendo ótimos aparelhos a um preço acessível, mas sem perspectiva de lucro – a Motorola vem sangrando dinheiro há anos;

2) vender a Motorola e garantir um futuro para o Android, já que as parceiras do Google provavelmente não gostavam da concorrência a mais.

O Google escolheu a segunda opção, e provavelmente sairá ganhando – assim como a Samsung. Mas isto vai beneficiar você? Bem, é esperar para ver o que a Lenovo fará com sua nova aquisição.