Isto é algum tipo de feitiçaria, truque de câmera, ou tecnologia de ficção científica chegando à vida real? Vamos torcer que seja a última opção.

O Veti-Gel é uma substância que pode ser aplicada a uma ferida para imediatamente fazê-la parar de sangrar. É insano como ele funciona rápido. Assista ao vídeo abaixo para vê-lo em ação.

Não assista se você tem nojo de sangue!

O vídeo mostra o Veti-Gel agindo em um lombo de porco bombeado com sangue. Após um corte, você pode ver o sangue jorrando do lombo. Mas, depois que o gel é aplicado, de repente o sangramento para. Isso é Mass Effect na vida real. Como isso funciona?

O Veti-Gel foi criado por Joe Landolina, estudante da Universidade de Nova York, que usou polímeros vegetais para fechar feridas abertas instantaneamente. Basicamente, sua criação sintética se conecta ao corpo humano, fechando a ferida com algo que age como a pele. E ainda melhor: o Veti-Gel também ajuda no processo de cicatrização.

Landolina explica ao Humans Invent:

“Ele funciona de três maneiras”, diz Landolina. “A primeira é agindo como um adesivo para tecido”, ele explica. “Ele mantém pressão sobre a ferida, para que você não tenha que fazer isso. Em segundo lugar, ao tocar o sangue, ele faz algo chamado ativar o Fator 12.”

Isto ativa a fibrina, o polímero necessário para fazer um coágulo de sangue, explica Landolina. “Finalmente, ele ativa as células de plaquetas.” O gel faz com que elas se liguem à fibrina, criando uma vedação firme.

O gel basicamente imita o que o corpo humano faz, mas a uma velocidade bem mais rápida. Você pode então removê-lo, ou aplicar um spray para transformar o gel em uma substância que parece pele, e age como ela. Dessa forma, o tecido ao redor pode cicatrizar mais rápido.

medigel-technology2

Landolina vem conversando com militares sobre o Veti-Gel, já que eles têm um óbvio interesse no produto. Ele espera que os testes clínicos comecem dentro de um ano e meio. Leia mais sobre o milagroso gel aqui: [Humans Invent via BoingBoing]

Imagem por m.mate sob licença Creative Commons