Mesmo que você tenha um belo home theater com TV tela plana, com certeza ela não é páreo em imagem, nitidez e qualidade de cor para o novo monitor de referência da Dolby, que custa US$40.000.

Ele tem 42 polegadas e é limitada ao Full-HD 1080p (nada de 2K ou 4K aqui), e ele não tem um ângulo de visão amplo como nas melhores TVs para consumidores. Mas ele é capaz de exibir todo o intervalo dinâmico que as câmeras digitais de cinema conseguem capturar, incluindo os destaques e as partes escuras de uma imagem que a maioria dos monitores não conseguem mostrar com clareza. E com suporte de uma técnica chamada LUTs, ele consegue tratar imagens via hardware e exibe a maior parte do intervalo dinâmico que a câmera capturou, para um pós-processamento mais preciso.

E para garantir que o monitor PRM-4200 de 68kg esteja sempre calibrado perfeitamente, ele inclui um controle remoto exagerado que permite ao usuário ajustar os LEDs vermelhos, azuis e verdes – 1.500 no total – que compõem a retroiluminação.

São funções inúteis para o consumidor médio, mas vitais para quem precisa de uma referência confiável para correção de cores e controle de qualidade. Para estes profissionais, uma tela LCD que promete isto vale a pequena fortuna que a Dolby pede. Para nós, meros mortais, dá pra comprar dois carros Gol zero-quilômetro e ainda sobra. [Dolby via Dvice]