Dispositivos de Internet das Coisas são notoriamente inseguros, e as webcams estão entre os alvos mais assustadores de hackers. Uma mulher na Holanda recentemente descobriu o quão perturbadoras essas vulnerabilidades podem ser, capturando imagens de uma webcam caseira que começou a rastrear seus movimentos e a falar com ela com uma voz sinistra e desconhecida.

Em um post de Facebook, Rilana Hamar recontou como a história de terror da vida real se revelou depois de ela comprar uma webcam por capricho de uma loja de descontos holandesa chamada Action. Hamer achou que o dispositivo seria bom para acompanhar seu cãozinho enquanto ela estivesse fora de casa, mas, no fim, ela é quem foi observada.

De acordo com Hamer, os problemas começaram quando a câmera começou a se mexer sozinha um ou dois meses depois da compra. “A câmera ia para frente e para trás”, escreveu Hamer. “De repente, ouço um estrondo. Estou ficando louca?! Não… Entrei lá, e a câmera havia se virado para a minha direção, e eu então ouvi: ‘Bonjour, madame’. Fui para a esquerda e para a direita, e a câmera veio comigo.”

“Cheia de medo”, Hamer desplugou a câmera e a jogou numa caixa antiga. Mais tarde, ela estava discutindo o incidente com um amigo e decidiu tirar o dispositivo da caixa e gravar o que ele fazia. Pouco depois, a voz voltou. “Olá, você fala francês?”, perguntou a câmera. Hamer por fim se descontrolou diante do intruso, gritando: “Sai da minha casa”. “Hola, señorita”, provocou o hacker. “É, vai se foder”, ela gritou. Enfim, o troll perdeu sua compostura quieta, gritando: “Chupa minha r***!”

De acordo com o veículo de comunicação RTL, a Action pegou a câmera de volta, e um representante da empresa disse a repórteres que o fabricante estava investigando o incidente. “A questão é se isso está na câmera ou no mau uso de senhas e conexão Wi-Fi”, disse o representante. Eles também afirmaram que o dispositivo está à venda desde maio e que essa foi a primeira reclamação do tipo.

Infelizmente, nenhuma fonte declarou quem fabricou o dispositivo. O Gizmodo entrou em contato tanto com Hamer quanto com a Action, mas ainda não recebemos uma resposta.

Independentemente de quem fabricou a câmera, dispositivos de Internet das Coisas são simplesmente geralmente inseguros, e o público não está exigindo maior segurança. Mesmo fabricantes de dispositivos topos de linha como o Nest, do Google, tiveram invasões significativas. Webcams baratas também foram declaradas culpadas do ataque de botnet Mirai, que derrubou metade da internet em outubro de 2016. Infelizmente, esses dispositivos estão tornando todos nós menos seguros. Pode ser assustador saber que alguém está te observando, mas ser observado e não saber é ainda pior.

“Minha privacidade, minha casa, minhas coisas pessoais e eu mesma… Estou com medo… aterrorizada”, escreveu Hamer. “Estou sendo observada, mas há quanto tempo? O que aquela pessoa viu de mim?”

[Rilana Hamer via The Next Web, RTL News]

Imagem do topo: Rilana Hamer