O Windows 8.1 foi lançado em outubro e marcou uma nova fase para a Microsoft: agora a empresa tem ciclos menores para desenvolver atualizações para seus sistemas operacionais. A próxima versão do Windows já está no forno e pode trazer de volta um velho conhecido: o menu Iniciar.

Sim, desta vez estamos falando do menu Iniciar, e não apenas o botão Iniciar.

Quando o Windows 8 foi lançado, em 2012, ele introduziu a nova tela Iniciar com os blocos animados e coloridos que se tornaram padrão em produtos da empresa (Windows Phone e Xbox também têm interface baseada neles). A área de trabalho clássica com a barra de ferramentas ainda estava presente, mas não contava mais com o botão Iniciar e o menu Iniciar com todos os programas instalados pelo usuário, como no Windows 7, por exemplo.

A Microsoft cedeu – em partes – à pressão dos usuários, e no Windos 8.1 trouxe de volta um antigo recurso: o botão Iniciar. Mas este botão é apenas um atalho para a tela Iniciar – você também consegue chegar a ela apertando o botão Windows no teclado, através dos Charms no canto direito da tela e, no Windows 8, mantendo o mouse no canto inferior esquerdo por alguns segundos. No fim, é apenas um recurso estético para oferecer um ambiente um pouco mais familiar para usuários que se assustaram com o Windows 8 – na prática, ele não faz nada muito diferente do que já era possível fazer.

Pelo jeito a próxima versão do Windows será ainda mais agradável para os usuários nostálgicos do sistema operacional. Segundo Paul Thurrott, a atualização, conhecida internamente pelo nome Threshold, está prevista para a primavera de 2015 no hemisfério norte (outono no Brasil). E ela trará de volta o menu Iniciar. O menu mesmo, não apenas um atalho para a tela Iniciar, apesar de ainda não estar claro como ele seria em termos de design. Mas, aparentemente, será um recurso opcional, e quem gosta do Windows 8.1 do jeito que é hoje não precisará ativar o antigo menu.

Esta não vai ser a única mudança do Threshold. Pelo jeito teremos uma atualização mais profunda do que o Windows 8.1. Thurrott diz que os apps estilo Metro poderão ser rodados na área de trabalho flutuando em janelas separadas – como acontece com programas tradicionais. Atualmente, os apps do Windows 8 podem ser usados junto com a área de trabalho, mas cada um ocupa uma área separada da tela.

A Microsoft também planeja mais versões diferentes do novo Windows, segundo Mary Jo Foley, da ZDNet. Para consumidores tradicionais, uma versão com foco em apps do Windows 8 e atualizações frequentes deve ser lançada sendo compatível com tablets ARM e Windows Phone – unificando as plataformas da Microsoft em dispositivos móveis. Uma versão tradicional voltada para desktops manteria a compatibilidade com os softwares da área de trabalho. Por fim, uma versão corporativa também está nos planos – ela seria atualizada com menos frequência do que as versões de consumidor final. [Paul Thurrott, ZDNet]