Quando o Mi Mix original foi anunciado em outubro de 2016, os smartphones praticamente sem bordas ainda não estavam no imaginário da maioria dos consumidores. Chegou 2017 e a LG trouxe o G6, a Samsung emplacou o Galaxy S8 e ao que tudo indica o iPhone X também adotará um design em que a tela ocupa quase toda a parte frontal do celular. Hoje (11), a marca chinesa anunciou a segunda geração do aparelho conceito – que, desta vez, está mais sóbrio.

• Xiaomi deixa a MIUI de lado e lança o Mi A1, seu primeiro celular com Android puro
• A tela do smartphone Xiaomi Mi Mix ocupa quase toda a parte frontal do aparelho
• LG V30 é uma versão mais sóbria daquele smartphone com tela secundária

O Mi Mix original era mesmo um conceito: cheio de experimentações, como o alto-falante conta com efeito piezoelétrico, que utiliza a borda de metal para gerar som, um sensor ultrassom e a câmera frontal na parte inferior. Além disso, se tratava de uma edição limitada, vendida em poucos países. A nova geração eliminou a parte conceitual, sem perder a essência.

A tela do Mi Mix 2 tem 5,99 polegadas (2160 x 1080 pixels), um pouco menor do que as 6,44 polegadas da versão anterior. A proporção é o mais importante aqui, a pegada dele deve estar mais confortável com 18:9, em vez dos 17:9 que o deixava muito largo. O alto-falante está escondido na parte frontal e o efeito piezoelétrico foi deixado de lado. O celular ficou mais arredondado também – inclusive, o visual se parece mais com o LG G6 do que com o Galaxy S8. A construção é de cerâmica com bordas de alumínio e a fabricante afirma ter tornado o material mais denso para reduzir as chances dele espatifar no chão e ficar todo estilhaçado – a mudança no visual da traseira está na câmera, que ganhou uma pequena protuberância.

Falando em câmera, a traseira tem 12 megapixels com f/2.0 e estabilização óptica de quatro eixos. O sensor da câmera frontal é idêntico e fica na parte inferior, onde sobra um pouco mais de borda – para tirar uma selfie, é preciso segurar o celular de ponta cabeça.

A respeito das especificações, Mi Mix 2 é um topo de linha digno: processador Snapdragon 835, 6 GB de RAM e bateria de 3.400 mAh. Ele vem com conector USB-C e não tem plug para fones de ouvido. Há três opções de espaço de armazenamento: 64, 128 ou 256 GB. O sistema é o Android 7 Nougat, com a MIUI 9 por cima. Um dos destaques do modelo é a compatibilidade com 43 bandas LTE, o que deve torná-lo compatível com a maioria dos países.

A Xiaomi lançará ainda uma versão especial do modelo, com construção inteira de cerâmica. O modelo especial tem 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento.

O Mi Mix 2 será vendido a partir do dia 15 de setembro, apenas na China. Os preços são 3.299 ¥ (cerca de R$ 1.500, em conversão direta) para o modelo de 64 GB, 3.599 ¥ (R$ 1.700) para o de 128 GB e 3.999 ¥ (R$ 1.900) no de 256 GB. A edição especial de cerâmica custará 4.699 ¥ (R$ 2.200).

[The Verge, Mashable]