Transmitir 1 Gbps através de uma conexão sem fio 4G não é fácil, mas é isso que a operadora australiana Telstra e a Ericsson conseguiram fazer em seus novos testes de rede.

É isso mesmo: usando LTE-Advanced e a tecnologia de agregação de canais, a Ericsson e a Telstra fizeram download a 1 Gbps usando 4G, à medida que a empresa se prepara para construir uma nova rede 5G.

Isso foi possível ao reunir espectro móvel em cinco blocos de frequências diferentes: 700 MHz, 1800 MHz, 2100 MHz e duas porções de 20 MHz da banda 2600 MHz.

Claro, vai demorar até que este tipo de velocidade chegue a dispositivos móveis. Atualmente, o padrão mais rápido 4G em dispositivos para consumidores é a Categoria 11, que tem velocidade máxima teórica de 600 Mbps. A Telstra é a única a vender um modem 4G tão rápido, e mesmo assim ainda este é um máximo “teórico” – dispositivos Cat. 11 provavelmente nunca chegam a 600 Mbps.

A Telstra chegou a 1 Gbps em um dispositivo especial projetado para testes pesados de rede. Ele se chama TM500 e é feito por uma empresa chamada Cobham Wireless. Ou seja: isto não é um smartphone comum. E estas velocidades só devem chegar à Austrália por volta de 2020.

O LTE-Advanced é um passo rumo ao futuro com 5G, nova geração de redes sem fio ainda mais rápidas. No ano passado, a Samsung conseguiu transmitir dados a 7,5 Gbps entre dois pontos fixos, e chegou a uma velocidade estável de 1,2 Gbps em um carro viajando a mais de 100 km/h.

No Brasil

A tecnologia LTE-Advanced está dando seus primeiros passos no Brasil. Em outubro, a TIM demonstrou esta tecnologia na feira Futurecom.

“O teste inédito, realizado no estande da operadora, reúne o uso de todas as frequências LTE habilitadas no Brasil – 2600 MHz, 1800 MHz e 700 MHz – para oferecer uma melhor experiência no uso de dados”, explica a empresa em comunicado.

A demonstração da TIM – feita com ajuda da Ericsson e Qualcomm – atingiu download de até 260 Mbps. A operadora planeja implementar a agregação de canais nas frequências 2600 MHz e 1800 MHz nas principais regiões do país até 2016.

Enquanto isso, a Claro vai iniciar os primeiros testes de LTE-Advanced neste mês de novembro. O projeto-piloto ocorrerá em Anápolis, Goiás, “por sua representatividade na região Centro-Oeste e por ter uma alta demanda pelo uso de dados móveis”, diz a empresa em comunicado.

A Claro também usa a tecnologia que agrega várias faixas de frequência para fornecer velocidades maiores; ela promete downloads “acima de 200 Mbps”.

No Brasil, a velocidade média do 4G é de 16 Mbps, segundo a OpenSignal.

Foto por Alexander F. Yuan/AP

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.