Vinte países relataram seus primeiros casos do novo coronavírus esta semana, elevando o número total de casos confirmados para mais de 82 mil em 50 países desde o início do surto em dezembro. Pelo menos 2.800 pessoas morreram em todo o mundo.

O número de casos de COVID-19 está crescendo consideravelmente fora da China, a origem dos surtos. A Coreia do Sul registrou 505 novos casos apenas nas últimas 24 horas.



Um novo caso foi relatado no norte da Califórnia na quarta-feira (26) em uma paciente que não possuía histórico de viagens a lugares com altas concentrações da doença. Esse paciente ficou dias sem fazer exames, apesar das recomendações de seu médico, devido aos critérios incrivelmente rígidos estabelecidos pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) para quem deve fazer testes ou não.

O presidente Donald Trump deu uma coletiva de imprensa na quarta-feira (26) para tentar  acalmar o público. Trump nomeou o vice-presidente Mike Pence como principal autoridade para coordenar a luta dos EUA contra o vírus.

Em suma, parece que o COVID-19 estará em todos os lugares em breve.

Abaixo, temos uma lista de todos os países que relataram seus primeiros casos do vírus esta semana, listados em ordem alfabética.

Mapa múndi com círculos vermelhos mostrando a incidência de COVID-19. Os maiores círculos estão na Ásia e na Europa. Quanto maior o círculo, maior o número de casos.Imagem: Monitor do Coronavírus da Johns Hopkins

Afeganistão

O Afeganistão confirmou seu primeiro caso do novo coronavírus na segunda-feira (24) na província de Herat, que faz fronteira com o Irã. O ministro da Saúde do Afeganistão, Ferozuddin Feroz, declarou uma emergência para a província e disse que o paciente havia viajado recentemente para Qom, no Irã, uma das regiões fora da China mais atingidas pela doença.

Argélia

Autoridades de saúde da Argélia relataram o primeiro caso do vírus na terça-feira (25) em um homem que chegou da Itália em 17 de fevereiro. É o segundo país da África a reportar um caso confirmado de COVID-19, após o primeiro caso do Egito, há quase duas semanas.

Áustria

A Áustria relatou seus primeiros casos do novo coronavírus na terça-feira (25) em duas crianças de 24 anos que estavam recentemente na Lombardia, uma das duas regiões da Itália mais atingidas por surtos de COVID-19. Ambos os pacientes estão em quarentena na cidade austríaca de Innsbruck e estão em condições estáveis.

Bahrein

O Bahrein anunciou seu primeiro caso do novo coronavírus na segunda-feira (24). O paciente é um motorista de ônibus escolar que estava levando crianças para três escolas diferentes no domingo. Ele tinha retornado recentemente do Irã, em uma viagem com escala em Dubai. As crianças que entraram em contato com o motorista do ônibus estão fazendo exames para a doença.

As autoridades de saúde do Bahrein informam que confirmaram pelo menos 33 casos da doença nos últimos três dias, de acordo com o Gulf News, e o governo suspendeu voos para o Bahrein de vários países, incluindo o Irã.

Brasil

O primeiro paciente de coronavírus no Brasil é um homem de 61 anos em São Paulo com um histórico de viagens para a Itália. O paciente estava viajando para a Itália a trabalho. As autoridades de saúde do país estão tentando identificar e notificar todos que compartilharam o voo com ele de volta ao Brasil, segundo o New York Times. O Brasil está investigando pelo menos outros 20 casos potenciais de COVID-19, incluindo uma dúzia de pessoas que viajaram recentemente para a Itália.

Croácia

O primeiro-ministro croata, Andrej Plenkovic, anunciou o primeiro caso confirmado do país na terça-feira (25) na capital Zagreb. O paciente é descrito como um jovem croata que esteve em Milão, Itália, de 19 a 21 de fevereiro e está apresentando “sintomas leves”. Outros nove cidadãos croatas que retornaram recentemente da Itália estão fazendo exames para identificar o vírus, de acordo com o Dubrovik Times da Croácia.

Dinamarca

As autoridades de saúde da Dinamarca anunciaram o primeiro caso do país de COVID-19 na quinta-feira (27): um homem adulto que voltou recentemente de uma viagem para esquiar na Itália. A esposa e o filho do homem tiveram um resultado negativo para o vírus, mas a família inteira está isolada em sua casa em Zelândia, na Dinamarca.

Espanha

A Espanha relatou seu primeiro caso de COVID-19 na parte continental do país na terça-feira (25) em uma mulher da Catalunha que viajou recentemente para a Itália. A paciente de 36 anos é uma cidadã italiana que vive em Barcelona e passou algum tempo em Milão, na Itália, de 12 a 22 de fevereiro, de acordo com a agência de notícias Local SE. As autoridades de saúde da Espanha encontraram pelo menos mais 10 casos desde terça-feira (25).

As Ilhas Canárias, um arquipélago ao sul da Espanha continental que está tecnicamente mais próximo da África do que a Europa, relataram seus primeiros casos depois que um médico italiano em férias na região deu positivo para o vírus. O hotel no centro do surto, o H10 Adeje Palace, está atualmente fechado, e cerca de mil pessoas não estão autorizadas a sair dele.

Estônia

O ministro de Assuntos Sociais da Estônia, Tanel Kiik, anunciou na quinta-feira (27) que o país tem seu primeiro caso confirmado de coronavírus, de acordo com a Baltic News Network. O paciente é um cidadão iraniano que vive na Estônia. Ele recentemente viajou de ônibus saindo da Letônia, em um veículo operado pela Lux Express.

Não se sabe quantas pessoas estavam no ônibus, mas o governo da Estônia está entrando em contato com pessoas que acredita estarem próximas do paciente. O governo da Letônia ainda afirma que não há casos confirmados do vírus, segundo a emissora pública da Letônia.

Finlândia

Uma mulher em Helsinque, na Finlândia, se tornou a primeira naquele país a testar positivo para o novo coronavírus na quarta-feira. A mulher, descrita como “em idade de trabalhar” pela mídia local, provavelmente foi infectada em uma recente viagem a Milão, na Itália, segundo as autoridades de saúde locais. A paciente voltou da Itália no domingo (23) e seus contatos íntimos estão sendo monitorados, embora ninguém mais tenha mostrado sintomas da doença.

Geórgia

A Geórgia relatou seu primeiro caso de COVID-19 na quarta-feira (26). O paciente é um cidadão do país que esteve recentemente no Irã, um dos lugares mais atingidos fora da China. O homem viajou via Azerbaijão, país que separa a Geórgia e o Irã, e foi inspecionado pelos guardas de fronteira ao retornar ao seu país de origem na terça-feira. O homem está em quarentena, e os agentes estão sendo monitorados para a doença agora, de acordo com a agência de notícias Anadolu Agency da Turquia.

Grécia

Oficiais na Grécia confirmaram o primeiro caso de novo coronavírus do país na quarta-feira (26) na cidade de Tessalônica. A paciente é uma mulher de 38 anos que teria voado de volta para a Grécia saindo de Milão, Itália, em 23 de fevereiro. Um porta-voz do Ministério da Saúde da Grécia, Dimitris Tsiodras, relata que a mulher está em “boas” condições.

Dois novos casos da doença foram registrados na Grécia na quinta-feira (27), e um deles é parente do primeiro paciente em Tessalônica. O segundo caso é uma mulher que também viajou recentemente para a Itália.

Iraque

O Iraque confirmou o primeiro caso do país de COVID-19 na segunda-feira (24). O paciente é um cidadão iraniano que estuda no Iraque. Uma família de quatro cidadãos iraquianos também testou positivo para a doença na província de Kirkuk nesta semana. A família havia viajado recentemente para o Irã. O governo iraquiano está fechando rapidamente escolas e grandes reuniões públicas na tentativa de controlar a propagação do vírus.

Kuwait

As autoridades de saúde do Kuwait anunciaram na segunda-feira (24) os cinco primeiros casos de COVID-19 no país, em pessoas que haviam viajado recentemente de Mashhad, no Irã. Esse número havia subido para 43 casos nesta manhã, todos em pessoas que tinham laços com o Irã, de acordo com a agência de notícias Al Arabiya. O Kuwait fechou todas as escolas em todo o país por duas semanas.

Macedônia do Norte

O país da Macedônia do Norte anunciou seu primeiro caso do vírus na quinta-feira (27). A paciente é uma mulher que estava na Itália. A mulher, cidadã da Macedônia do Norte, viajava em uma van cheia de gente antes de voltar da Itália para casa. As autoridades de saúde estão agora testando outras pessoas que estavam no veículo para ver se foram infectadas.

Noruega

A Noruega anunciou seu primeiro caso de COVID-19 na quarta-feira (26). A paciente é um cidadão norueguês que voltou recentemente da China. A mulher, que supostamente mora na cidade de Tromsø, só foi identificada por causa de testes de rotina que atualmente estão sendo conduzidos pelas autoridades de saúde norueguesas em pessoas que retornam de áreas do mundo com alto número de casos de coronavírus.

Omã

Omã registrou seus dois primeiros casos do novo coronavírus na segunda-feira (24) e outros dois na terça-feira (25), elevando o total atual para quatro. Todos os quatro pacientes viajaram recentemente para o Irã.

Paquistão

O Paquistão relatou dois casos do vírus em Karachi na quarta-feira (26), incluindo um homem de 22 anos que se acredita ter sido infectado no Irã, segundo o Saudi Gazette.

Romênia

O ministro da Saúde da Romênia anunciou na quarta (26) o primeiro caso de coronavírus no país. Acredita-se que o homem, que mora no condado de Gorj, tenha sido infectado por um cidadão italiano que estava visitando a Romênia no início de fevereiro.

“Ele está em boas condições e será transferido para um hospital infeccioso de Bucareste”, anunciou o ministro da Saúde na quarta-feira, segundo a Reuters.

Suíça

Autoridades de saúde da Suíça relataram o primeiro caso de coronavírus no país na terça-feira (25). O paciente, que vive em Ticino, teria visitado Milão, Itália em 15 de fevereiro e começou a apresentar sintomas apenas alguns dias depois. Mais três casos foram identificados na Suíça desde terça-feira (25).

Aviso em farmácia dizendo que há falta de máscaras.Avisos de máscaras esgotadas colocados em uma farmácia de Manhattan. Foto tirada em 26 de fevereiro de 2020. Foto: Getty Images

Outros países com um grande número de casos incluem o Japão, a Itália e o Irã. Alguns países que receberam cidadãos que estavam no cruzeiro Diamond Princess no Japão também relataram seus primeiros casos fora do navio esta semana. Israel relatou seu terceiro caso de coronavírus na quinta-feira (27) em um cidadão israelense que retornou recentemente da Itália, seu primeiro caso depois de dois israelenses que foram trazidos para casa do navio que estava em quarentena em Yokohama.

A Itália anunciou duas novas mortes pela doença na quarta-feira, elevando para 14 o número total de mortes no país. O Irã anunciou na quinta-feira que mais três pessoas morreram de COVID-19, elevando o número oficial de mortes no país para 26.

E países ao redor o mundo está começando a levar a sério a proibição de reuniões públicas e o fechamento de espaços públicos. No Japão, o primeiro-ministro Shinzo Abe anunciou hoje que todas as escolas de ensino fundamental e médio serão fechadas a partir de segunda-feira, 2 de março.

A Organização Mundial da Saúde se recusou a chamar os surtos mundiais de “pandemia”, com o objetivo de evitar o pânico, mas não está claro por quanto tempo o grupo global de saúde poderá evitar a palavra.

“Usar a palavra pandemia de forma descuidada não traz benefícios tangíveis, mas possui um risco significativo em termos de amplificação de medo e estigma desnecessários e injustificados e de paralisar sistemas”, disse Tedros Adhanom, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (26). “Também pode sinalizar que não podemos mais conter o vírus, o que não é verdade. Estamos em uma luta que pode ser vencida se fizermos as coisas certas.”

Mas um líder mundial usou abertamente a palavra pela primeira vez. O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, disse que seu país precisa continuar como se uma pandemia estivesse chegando.

“Embora a Organização Mundial da Saúde ainda não tenha declarado a natureza do coronavírus e sua mudança para uma fase de pandemia, acreditamos que o risco de uma pandemia global esteja sobre nós”, disse Morrison em entrevista coletiva nesta quinta-feira (27), de acordo com o jornal Sydney Morning Herald.

“Estamos efetivamente operando agora com base em uma pandemia.”