O ataque ao Yahoo em 2013 já havia sido considerado o maior hackeamento de dados de usuários da história quando foram contadas um bilhão de contas afetadas. Agora, esse número recorde triplicou em tamanho.

Todas as contas Yahoo foram afetadas pela invasão catastrófica de 2013, confirmou a companhia nesta terça-feira (3). O Yahoo havia revelado anteriormente o total em pouco mais de um bilhão, mas agora atualizou esse número para impressionantes três bilhões de contas.



O ataque, que foi atribuído a hackers de Estado, ocorreu em 2013, mas não foi descoberto até 2016. A Verizon fechou sua aquisição do Yahoo neste ano, depois de exigir um desconto baseado na falha de segurança. Então, o fundiu com a AOL para criar uma nova empresa: a Oath.

“Após a compra do Yahoo pela Verizon, e durante a integração, a empresa recentemente obteve novas informações e agora acredita que, depois de uma investigação com a assistência de especialistas forenses externos, todas as contas de usuários do Yahoo foram afetadas pelo roubo de agosto de 2013”, disse o Yahoo em uma divulgação enviada à SEC, que fiscaliza o mercado de capitais nos EUA. “A investigação indica que as informações de contas de usuário que foram roubadas não incluíam senhas em texto claro, dados de pagamentos ou de conta bancária.”

O Yahoo já sofreu várias invasões à sua rede, perdendo endereços de email, senhas fracas e outras informações pessoais. Os perpetradores acessaram o código interno do Yahoo, o que lhes possibilitou forjar cookies para acessar as contas de email de certos alvos e colocar links fraudulentos nos resultados de buscas do Yahoo.

A empresa pediu ao bilhão de usuários que achavam ter sido afetados pelo ataque que mudassem suas senhas e perguntas de segurança. Essas mudanças também serão exigidas das duas bilhões de pessoas que, como se sabe agora, também foram afetadas pelo ataque.

Em março, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou acusações criminais contra vários homens ligados à inteligência russa por causa do ataque.

Imagem do topo: Getty