No mercado de internet, a expressão “bolha” é usada para descrever uma situação em que um negócio dá tão certo que empresas demais resolvem concorrer naquele espaço, fazendo com que fique impossível para a maioria delas se sustentarem. Também pode ser usada, com segurança, para descrever o negócio dos sites de compras coletivas no Brasil – 20% dos quais já estão fechados.

A febre começou há menos de um ano, com a chegada do PeixeUrbano e do Groupon, e logo já tínhamos quase um site de compra coletiva para cada prateleira equivalente do supermercado. Era fácil prever que muitos deles não se sustentariam, já que é preciso fechar parcerias com as lojas e serviços que darão os descontos, e em dado momento parecia haver mais sites oferecendo desconto do que estabelecimentos capazes de cumprir essa promessa.

Não à toa, portanto, que, segundo a Folha, mais de 20% desses sites já tomaram o rumo do erro 404. A reportagem está decepcionantemente disponível apenas para assinantes do UOL, mas o AdNews reverberou que 250 de 1200 páginas já estão fora:

Quem não tem força para vendas não sobrevive, pois tem dificuldade de manter e encontrar novos parceiros. Alguns empresários, quando descobriram a complexidade do negócio, desistiram.

Há quem tentou vender, mas poucos conseguiram. Um exemplo foi o Bom Proveito, vendido para o Clube do Desconto.

Não seria a hora de um site de compra coletiva que dá desconto na compra dos sites de compra coletiva que estão à venda por não terem vingado? Fica a dica, internet. [AdNews via Folha]