Na “economia do bico”, o motorista de aplicativo geralmente não tem muita informação sobre quem será o seu passageiro. Então, a 99 vai passar a dar um pouco mais de dados para o condutor, dizendo, pelo menos, se o passageiro que entrará no carro é um usuário frequente do aplicativo.

Segundo a companhia, assim que o passageiro chamar o veículo, o motorista será avisado sobre o histórico da pessoa. A ideia é que o condutor tenha alguma noção de quem ele receberá e, caso for necessário, reporte incidentes pela função de segurança do aplicativo.

Me parece importante este tipo de sinalização, pois, pelo menos na minha experiência, já tive várias corridas da 99 canceladas do nada. Teve até caso de o motorista passar por mim e simplesmente vazar. Lógico, não dá para saber exatamente o que levou a esta ação — vai que apareceu uma emergência para o cara resolver, né? Seja como for, ter algum histórico pode dar mais segurança aos motoristas, que já andam pelos diferentes cantos das cidades sem muitas garantias.

Junto com este anúncio, a 99 também informa que os passageiros poderão adicionar até duas paradas a uma mesma viagem. Além de trazer mais comodidade, o usuário do serviço continuará podendo compartilhar o caminho da corrida com familiares e amigos.

Já faz um tempo que a 99, como a Uber, tem investido em segurança. A empresa tem, por exemplo, rastreador de comentários contra assédio, botão de emergência para situações imediatas e até monitoramento por câmeras — alguns carros contam com uma câmera para tentar inibir eventuais incidentes.

Câmera de segurança em carro da 99

Após uma série de incidentes com motoristas e passageiros, as empresas estão se esforçando para melhorar a segurança em apps de transporte. Já que eles são uma opção de complemento de renda, que sejam pelo menos seguros para os condutores e para os usuários.