Até agora, o livro é uma ótima leitura para qualquer um, não apenas porque o personagem é uma figura bastante “densa” (meio louco-obsessivo, poderoso, cheio de fracassos e sucessos e – acredite – inseguranças), mas porque Walter Isaacson, o autor do livro, passa muito longe de endeusar Steve Jobs. Além de 40 entrevistas com o criador da Apple em si, Isaacson falou com mais de 100 pessoas importantes – de colegas a competidores (há boas falas de Eric Schmidt e Bill Gates) até ex-namoradas. Logo na introdução (livre tradução minha da versão em inglês), o autor explica como era importante saber “o outro lado” de algumas histórias:

Durante meus dois anos de visitas, ele foi dando mais intimidade e revelando mais, apesar de que em alguns momentos eu testemunhei o que os colegas veteranos da Apple chamam de “campo de distorção da realidade.” Às vezes era um casual erro das células de memória que acontece com todo mundo; em outros momentos era ele mudando a sua própria versão da realidade para mim e para ele mesmo. (…) A sua esposa também não solicitou restrição ou controle, nem pediu para ver antes o que eu iria publicar. Na verdade ela me encorajou fortemente a ser honesto sobre seus defeitos assim como suas virtudes. Ela é uma das pessoas mais espertas e pé-no-chão que eu já conheci. “Há partes da vida dele e da sua personalidade que são extremamente sujas, e essa é a verdade,” ela me disse logo no início. “Você não deve esconder isso. Ele é bom em distorcer, mas ele também tem uma história impressionante, e eu gostaria que ela fosse contada de maneira verdadeira.”

Isaacson consegue se distanciar bem do objeto em momentos mais controversos. Obviamente para averiguar o nível de loucura de Jobs eu digitei “Android” na busca do eBook, e achei o episódio da “Guerra Termonuclear” contra o sistema do Google. A coisa começou ainda em 2008, com uma reunião que teve até gritos com Larry Page, Sergey Brin e Andy Rubin. Jobs estava absolutamente furioso desde antes de começarem os processos. Isaacson não dá exatamente razão a Jobs, e um observador externo (Bill Gates) dá uma interessante opinião sobre a briga. Não vou estragar a surpresa, mas é um episódio que ilustra bem a sua visão de Apple e quão obsessivo ele poderia ficar. Além de, claro, resumir os motivos das brigas entre fanboys das marcas.

De novo, até agora é uma leitura fascinante, não apenas para fãs da marca e da figura (ainda bem!), mas porque a história de Jobs toca em muitos momentos na história da indústria de tecnologia de consumo das últimas décadas, e mostra a importância da inovação. Além de, é claro, ter mais barracos que uma novela das 7. Vá lá comprar, que eu prometo não soltar mais spoilers.

[A biografia pode ser comprada em PT-BR por cerca de R$ 38 em diversas lojas online – o preço normal é R$ 49,90. Em inglês, custa salgados US$ 17 para o Kindle ou iBook]