Nas décadas de 1960 e 1970, os Estados Unidos gastaram US$ 109 bilhões para trazer rochas da Lua para a Terra*. Em 2012, o país gastou alguns bilhões para levar uma rocha da Terra para Marte*. Transportar rochas parece bem divertido — e caro!

Sim, existe um pedaço da Terra em Marte agora, pessoal! E, eu sei, você pode dizer que todos os rovers e outros robôs na superfície de Marte são itens (processados) na Terra. Eles foram feitos aqui, afinal. Mas isso é diferente. É um pedaço mesmo do solo. É a mãe-natureza em estado puro. Os imigrantes construíram fazendas e ranchos e cidades em cima dessa rocha — uma rocha basáltica do fluxo de lava encontrado perto de Socorro, Novo México! É um pedaço do nosso lar na superfície de outro planeta. É bom que aquelas bactérias marcianas não cheguem nem perto desse pedaço da Terra. E me pergunto se alguma das bactérias nascidas naquela rocha tem passaporte norte-americano.

Mas divago. Por que a NASA mandou essa rocha para Marte? Fácil: ela “serve de alvo de calibração à frente do rover Curiosity, da NASA, para o instrumento canadense APXS (Alpha Particle X-Ray Spectrometer).”

O APXS é projetado para detectar elementos químicos em rochas e no solo de Marte. Ele usa cúrio para emitir partículas alfa energizadas e raios-x. Quando expostos a isso, o solo e as amostras de rochas emitem diferentes tipos de raios-x baseados em sua composição que são detectados pelo instrumento, dando à NASA uma lista precisa de ingredientes. [NASA]

* Dentre outras coisas.