Se você tem um Android, esperamos que esteja de olho nas promoções em comemoração dos 10 bilhões de downloads. Hoje, por exemplo, o sensacional Pano (para fotos panorâmicas) custa 18 centavos, assim como o bonitão Backstab HD. Downloads crescendo alucinadamente, um monte de publicidade gratuita para o Market, smartphones mais equipados para enfrentar as férias de fim de ano. Todos felizes, não? Provavelmente. Exceto por alguns desenvolvedores que ficaram de fora da promoção.

O problema, segundo estes, é que a promoção criou um ranking artificial de mais vendidos e fez com que alguns apps bons, que estavam lá em cima, perdessem 30 ou 40% de vendas logo de cara pela “concorrência desleal” com aplicativos caros que subitamente ficaram a preço de banana. Para o desenvolvedor do Thumb Keyboard (um popular app de teclado para tablets), a promoção é um “golpe” do Google para “preparar” o Market para o lançamento do Ice Cream Sandwich — colocando apps que exigem Androids poderosos, no topo, por exemplo. Os apps da promoção foram selecionados pelo Google, e os desenvolvedores poderiam aceitar ou não participar.

A maior reclamação do pessoal da Beansoft é que não há como competir: apenas o Google tem o poder de colocar apps a 10 centavos de dólar: para todos os outros, ou ele é de graça, ou custa pelo menos 1 dólar — se você colocar o app como gratuito, não pode cobrar novamente. E, para piorar, até desenvolvedores de apps gratuitos estão subitamente vendo seus apps perderem vendas por não terem mais o destaque suficiente. Como sabemos, todas as lojas de apps têm uma lógica cruel de listas: se você estiver no topo, tende a ficar, como aponta o Android Police:

A pior parte é que a situação piora a cada dia — na prática, a cada dia de promoção, mais 10 apps ficam em cima daquelas que antes estavam no topo do ranking de apps pagos mas não participaram da celebração. No fim, sem grandes esforços promocionais por parte dos desenvolvedores, vai haver até 100 novos (vários que não ocupavam espaço no topo do ranking) impedindo as vendas de apps que estariam naturalmente nestas posições. É importante notar que vários desenvolvedores do topo do ranking de apps pagos sequer foram sondados para a promoção, na prática selando o seu destino para os próximos 10 dias e potencialmente o futuro.

Apenas apps que participaram da promoção estão na lista de mais vendidos

A questão, como levanta o Android Police, é por quanto tempo esse novo ranking “curado” pelo Google vai perdurar. A polêmica pode ser restrita, ainda não sabemos quantos criadores de apps estão bravos, mas levanta um problema interessante, sobre qual o limite da “mão” do dono do mercado. No fim, acho que o saldo para os desenvolvedores é certamente mais positivo do que negativo, basicamente porque a promoção fará com que muitas pessoas finalmente façam o cadastro no Google Wallet/Checkout, que facilitará compras de impulso futuras. O principal problema do Market, para os desenvolvedores, é que os usuários da plataforma se acostumaram a apps gratuitos e têm certa resistência a coisas pagas — considere que só com a promoção algum desenvolvedor chegou à marca de 1 milhão de apps pagos vendidos. Então, pode ser que por enquanto bons apps sumam temporariamente das listas e alguns desenvolvedores fiquem putos da vida, mas no longo prazo, acredito que todos ganharão, e o Google pensará melhor nas suas promoções, se tiver aprendido algo. [via Android Police]