No dia 3 de dezembro, a nave espacial LISA Pathfinder, a primeira grande tentativa da humanidade de caçar ondas gravitacionais no espaço distante, foi lançada em órbita. Dois meses e uns milhões de quilômetros percorridos depois, a primeira fase das operações científicas da LISA Pathfinder começou.

>>> As dúvidas mais interessantes sobre ondas gravitacionais, respondidas
>>> Nós encontramos ondas gravitacionais. E agora?
>>> Cientistas confirmam que ondas gravitacionais realmente existem

No que está sendo chamado de “um grande marco histórico“, a LISA Pathfinder lançou ontem suas duas massas de teste. O objetivo do experimento é manter esses cubos brilhantes suspensos em queda livre perfeita, medindo suas posições com precisão. Isoladas da radiação cósmica e do vento solar, as massas só vão se mover se atingidas por ondas no espaço-tempo conhecidas como ondas gravitacionais.

“A LISA Pathfinder continua funcionando perfeitamente”, disse Karsten Danzmann, diretor do Instituto Max Planck para Físicas Gravitacionais. “O lançamento dos testes de massa exigiram um pouco de aprendizado, mas a equipe rapidamente encontrou uma solução. A operação bem-sucedida de um interferômetro a laser no espaço com duas massas de teste em queda livre é a primeira da história!”

Em uma notícia que deixou o mundo em choque, físicos do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO, na sigla em inglês) anunciaram a primeira detecção direta de uma onda gravitacional na semana passada, confirmando a previsão final da teoria geral da relatividade proposta por Albert Einstein há um século.

Este é o começo da era da ciência das ondas gravitacionais, e um novo jeito de se estudar o universo. Nos meses e anos que vem por aí, o LIGO vai continuar sua busca por ondas gravitacionais produzidas pela colisão de buracos negros e estrelas de nêutrons, possibilitando novas formas de estudar esses objetos celestiais.

O lançamento das duas massas de teste do LISA Pathfinder é o primeiro passo dessa ciência. Os cubos de ouro de 46mm são separados por apenas 38cm. Entre eles está um interferômetro laser, que vai tentar medir suas posições com precisão de até um milionésimo para um milímetro. Se isso for possível, vamos observar as massas de teste surfarem nas ondas gravitacionais que varrem nosso sistema solar.

As operações científicas completas da LISA Pathfinder devem ser iniciadas em março. Fique atento – o universo está começando a falar conosco.

Foto via CGS / SpA