A Swatch é normalmente associada a free shops e presentes para crianças de 12 anos. Não é uma líder no mercado de smartwatches. Inclusive, nem está no mercado de smartwatches. Mas, aparentemente, está a alguns meses de solucionar o maior problemas destes computadores de pulso: a bateria.

De acordo com uma reportagem do jornal suíço Handelszeitung, a Swatch trabalha há algum tempo em uma ‘Super Bateria’ para smartwatches e carros, com capacidade para armazenar muito mais energia do que aquelas que estão no mercado. A maior ambição é um smartwatch cuja bateria possa durar por seis meses com uma única recarga. Dependendo do tipo de smartwatch — um de fitness simples ou uma potente máquina de notificações — isso é completamente possível, ou não passa de um sonho distante.

Mas se — e esse é um grande se — a Swatch pudesse solucionar o problema de duração das baterias, a companhia poderia providenciar uma solução ideal para o Calcanhar de Aquiles dos smartwatches. O smartwatch com bateria de maior duração que você pode comprar no momento é o Pebble, cuja bateria pode durar até três dias com uma única carga. A bateria do Apple Watch dura cerca de um dia. Seis meses de bateria — ou até mesmo uma única semana — mudaria esta indústria ainda em crescimento por completo.

Mas essa é uma novidade esperada da fabricante — o pai do atual CEO da Swatch, Nicolas Hayek, foi um dos pioneiros do (hoje elétrico) Smart Car, e a companhia é dona da Renata, uma empresa que produz pequenas baterias para relógios.

Mas essa é a mesma Swatch que nos prometeu em fevereiro um smartwatch conectado à internet que não precisaria de cargas, cujo lançamento deveria ocorrer dentro de dois ou três meses. Já estamos em maio e o tempo continua correndo, Swatch. [Handelszeitung via Reuters]