Steve Ballmer escreveu uma carta aos acionistas da Microsoft sobre o futuro da empresa e para atualizá-los sobre a máquina de fazer dinheiro que ela tem no Office e no mercado corporativo. A carta é, em grande parte, entendiante, mas Ballmer aponta o futuro da Microsoft no que diz respeito a dispositivos. O que significa que ela está interessada em fabricar coisas de verdade.

Nós “traduzimos” a carta inteira abaixo (com exceção de um blablablá corporativo na introdução) em algo que você possa de fato entender. Pense nisso como o que Ballmer gostaria que de fato fosse entendido (dica: developers, developers, developers):

“Ano passado foi um grande ano — entregamos bons resultados, lançamos novos produtos e serviços fantásticos e posicionamos a Microsoft para um futuro incrível.

Para o ano fiscal de 2012, o faturamento cresceu para um recorde de US$ 73,7 bilhões. Também mantivemos uma disciplina de corte de custos forte que resultou em um caixa operacional de US$ 31,6 bilhões, um aumento de 17% em relação ao ano anterior. Além disso, devolvemos US$ 10,7 bilhões para os acionistas através da recompra de ações e dividendos.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Nós realmente deixamos de ser horríveis. Sabe todas aquelas piadinhas que faziam de nós? Vocês têm que parar. Fizemos comerciais bacanas para o IE9. O Windows Phone é o sistema móvel mais empolgante do momento. Deixamos até o Hotmail descolado de novo com o Outlook. Hotmail! Descolado! E ainda entregamos uma tonelada de dinheiro, então por favor, parem de achar que a Microsoft estaria melhor com Bill Gates.

“Ano passado, nesta carta, disse que com o tempo, o valor total do nosso software seria visto e sentido em como as pessoas usam dispositivos e serviços no trabalho e em suas vidas pessoais. Essa é uma mudança significativa, tanto no que nós fazemos, quanto em como vemos a nós mesmos — como uma empresa de dispositivos e serviços. Isso impacta a forma com que dirigimos a empresa, como desenvolvemos novas experiências e como levamos produtos ao mercado para consumidores e outras empresas. O trabalho desenvolvido ano passado e o cronograma na nossa frente trazem essas coisas à vida.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Agora nós fazemos os nossos próprios produtos porque as empresas parceiras não estavam conseguindo entregar o que esperávamos.

“Continuaremos a trabalhar com um vasto ecossistema de parceiros para entregar uma grande gama de PCs, tablets e smartphones Windows. Fazemos isso porque nossos clientes querem ótimas alternativas e acreditamos que não exista um tamanho ideal para mais de 1,3 bilhão de usuários Windows ao redor do mundo.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Mas não iremos empurrar um único smartphone de um tamanho só, ou um único tablet ou PCs com visual idêntico a vocês. Mesmo que vocês queiram isso.

“Haverá situações onde construiremos dispositivos específicos para propósitos específicos, como escolhemos fazer com o Xbox e o recentemente anunciado Microsoft Surface. Em todo o nosso trabalho com parceiros e em seus próprios dispositivos, focaremos incansavelmente em entregar experiências agradáveis e sem fricção através de hardware, software e serviços. Isso significa que na medida em que nós, com nossos parceiros, desenvolvemos o Windows, criaremos serviços que as pessoas queiram.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Quando fizermos nossos próprios dispositivos, eles serão melhores do que todos os demais. Hmm… De repente podíamos fazer mais dispositivos próprios.

“Além disso, ao passo em que desenvolvemos e atualizamos nossos serviços ao consumidor, faremos isso de maneira que eles se aproveitem de todos os avanços em hardware, que se complementem uns aos outros e que unifiquem todos os dispositivos que as pessoas usam diariamente. Então logo de cara,  um cliente terá um dispositivo fantástico que se conecte com serviços únicos de comunicação, produtividade e entretenimento da Microsoft, bem como que tenha acesso a ótimos serviços e aplicações de nossos parceiros e desenvolvedores do mundo todo.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Se você nos der uma chance, prometemos que terá bons momentos com a Microsoft. Não vá com o Google! Não vá com a Apple!

“Um grande exemplo dessa mudança é o Windows 8. O Windows 8 chega ao mercado em 26 de outubro de 2012, com belos hardwares que se ligarão à nossa nuvem de serviços ao consumidor. O Windows 8 unifica os aspectos leveza, finura e diversão de um tablet com o poder de um PC. É bonito, é funcional e é perfeito para uso profissional e pessoal. Os apps Xbox Music, Vídeo, Jogos e SmartGlass tornam possível selecionar um filme de um PC, começar a assisti-lo na TV e terminar em um smartphone. O SkyDrive, nossa solução de armazenamento na nuvem, conecta sem esforço conteúdo através dos dispositivos do usuário. As poderosas tecnologias de pesquisa do Bing no Windows 8 ajudará os consumidores a fazer mais. O Skype tem um novo e belíssimo app do Windows 8 e se conecta diretamente ao novo Office.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: Aqui Ballmer apenas joga um monte de nomes. Notou quantos nomes diferentes a Microsoft usa para seus produtos? Windows, Xbox, SmartGlass, SkyDrive, Bing, Office e por aí vai.

Um monte de coisas sobre Office e corporativo.

O que Ballmer está dizendo na realidade: Um parágrafo inteiro sobre Office e cinco milhões de palavras sobre o meio corporativo! Por quê? Porque eles geram à Microsoft um zilhão de dólares e ter o Office em tablets significa que trabalho “de verdade” pode ser feito! Não acredita na gente? Lembre-se, esta é uma carta para acionistas da Microsoft. Eles não querem ouvir sobre as coisas legais e diferentes que a Microsoft está fazendo e que não geram lucro. Eles querem ouvir sobre a dominação no mercado corporativo com o qual pessoas normais não se importam. A Microsoft pode estar fazendo coisas mais legais agora, mas ela estará sempre presa às coisas chatas que dão dinheiro.

E voltamos aos pensamentos conclusivos de Ballmer…

“Há uma quantidade marcante de oportunidades à frente para a Microsoft no ano que vem e na próxima década. Ao entrarmos nessa nova era, existem muitas áreas distintas da tecnologia em que estamos focados em direcionar — todas elas começando a despontar nos dispositivos e serviços lançados este ano. Liderar a indústria nessas áreas a longo prazo se traduzirá em sustentar bem o nosso crescimento rumo ao futuro…

…Vemos uma quantidade de oportunidades sem precedente para esse ano e a longo prazo. Embora ainda tenhamos muito trabalho duro pela frente, nossos produtos estão gerando frenesi. E quando eu paro para refletir no quão longe nós fomos nos últimos anos e no quanto avançaremos no próximo, não teria como eu ficar mais empolgado e otimista.”

O que Ballmer está dizendo na realidade: A Microsoft nunca morrerá. Mas! A Microsoft realmente precisa que esse ano seja arrasador. Windows 8, Windows Phone 8, Surface, SmartGlass. Não bastassem todos os projetos impossíveis bem sucedidos da Microsoft em salvar produtos aparentemente perdidos, como o Hotmail, eles precisam que as pessoas os usem. E por toda a expectativa que a Microsoft gera com seus novos produtos, pessoas leigas precisam se apaixonar por eles também. Este será um grande ano para a Microsoft. Nós só não sabemos se ele será diferente dos últimos.