A primeira ação popular relacionada ao iPhone 4 contra a Apple e a operadora móvel americana AT&T foi aberta ontem na Corte Distrital de Maryland, nos EUA. O processo se concentra nos problemas de design da antena, e acusa as duas empresas de muitas coisas:

– Negligência em geral (Apple e AT&T)

– Defeito de design, fabricação e montagem (Apple)

– Violação de garantia expressa (Apple)

– Violação de garantia implícita por comercialização (Apple e AT&T)

– Violação de garantia implícita de adequação a um propósito em particular (Apple e AT&T)

– Práticas enganosas de comércio (Apple e AT&T)

– Divulgação intencional de informações errôneas (Apple e AT&T)

– Divulgação negligente de informações errôneas (Apple e AT&T)

– Fraude por encobrimento (Apple e AT&T)

A Apple foi criticada por usuários do iPhone 4 e pela mídia devido aos problemas de sinal que parecem resultar do design ruim da antena. Apesar de todos os celulares passarem por uma queda de sinal quando se toca a antena deles, o design do iPhone 4 coloca a antena ao redor do aparelho todo, tornando difícil evitar contato com o manuseio natural do aparelho. Os casos começaram a surgir no MacRumors e no Gizmodo em 23 de junho, um dia antes do lançamento oficial do iPhone  4, de usuários que receberam o aparelho antes.

Depois desses relatos iniciais, milhares de usuários começaram a relatar problemas de recepção e transmissão em diferentes países ao redor do mundo, o que resultou em perda de conexões à internet e quedas de ligação e de qualidade de voz. Outros testes demonstraram os problemas da antena desde então.

A ação popular foi aberta pela Ward & Ward, PLLC e Charles A. Gilman, LLC em nome de Kevin McCaffrey, Linda Wrinn e vários outros usuários do iPhone 4. E não é a ação popular relacionada ao iPhone 4 que dizem estar se formando, pela mesma firma de advocacia que processou o Facebook e a Zynga.

A ação judicial:

Para ver tudo em uma só página, clique aqui