Já reparou que agora, ao abrir um site na internet, frequentemente aparecem alertas pedindo sua permissão para usar cookies durante a navegação? Os avisos destacam que é tudo para melhorar sua experiência de navegação, mas a gente bem sabe que os cookies são usados posteriormente para enviar anúncios direcionados. A boa notícia é que esse monte de pop-up pode estar com os dias contados.

O grupo noyb, do advogado austríaco Max Schrems, e pesquisadores do Laboratório de Computação Sustentável (CSL) da União Europeia (UE) propõem um mecanismo automático para navegadores web que elimina a exibição de banners que indicam a utilização de cookies, desde que os usuários possam definir essas configurações por conta própria.

Trata-se do “Advanced Data Protection Control” (ADPC), uma solução criada por Schrems, mais conhecido por sua batalha de uma década contra o Facebook e suas práticas abusivas quanto ao uso de dados. Em vez de todos os sites solicitarem que os cookies sejam eliminados, o ADPC permite que você defina manualmente preferências de privacidade. Estas, por sua vez, são transmitidas de forma invisível para qualquer site visitado, eliminando aqueles avisos irritantes que insistem em aparecer.

Em suma, o ADPC transmite preferências de cookies para os sites que você visita de duas maneiras: os dados são enviados diretamente para o servidor que hospeda um site (usando cabeçalhos HTTP) ou diretamente para o próprio site (com linhas de código JavaScript). Neste segundo caso, os sites exibirão um pop-up na primeira vez que você visitar, pedindo para definir essas preferências básicas — e essa será a única vez que você será solicitado para realizar tal procedimento.

O usuário terá a opção de liberar que o site acesse e armazene cookies no dispositivo, ou criar um perfil específico para guardar esses anúncios. Imagem: Shoshana Wodinsky (noyb)

O blog de Schrem também explica que essas preferências podem ser personalizadas e modificadas para sites e cenários específicos. Por exemplo, um usuário poderia especificar que deseja que seus dados sejam compartilhados apenas com determinados veículos de notícias. Contudo, por estar em sua primeira versão, o ADPC só permite armazenar duas preferências de cookies: uma delas autoriza por completo o uso de cookies durante a navegação; a outra armazena todos eles em um “perfil de anúncios” separado, para que o usuário personalize o que deseja visualizar e enviar a outros sites.

Assine a newsletter do Gizmodo

Segundo o CSL, o ADPC poderia vir pré-instalado nos browsers ou ser lançado na forma de um plug-in. Por enquanto, a solução está em fase de testes no Firefox, mas há previsão de compatibilidade com navegadores baseados em Chromium, incluindo Opera, Brave e Google Chrome.

Vale ressaltar que o ADPC é apenas um padrão criado para tornar a navegação na web menos incômoda, e não para dar mais privacidade do que acontece atualmente. Até porque os sites podem se esquivar de suas preferências da mesma forma que já acontece atualmente, mesmo que o usuário se recuse a utilizar cookies.