Passou-se apenas uma semana desde que a Nasa anunciou suas duas missões em Vênus e, agora, já temos mais uma programada programada. Desta vez, pela Agência Espacial Europeia (ESA em inglês) que anunciou na quinta-feira (10) a sonda ‘EnVision’, sua própria espaçonave com destino a Vênus e lançamento previsto para o início de 2030.

“Uma nova era na exploração de nosso vizinho mais próximo, mas totalmente diferente, do Sistema Solar nos espera”, disse Günther Hasinger, diretor de ciência da agência, em um comunicado à imprensa. “Junto com as recém-anunciadas missões Vênus lideradas pela Nasa, teremos um programa científico extremamente abrangente neste planeta enigmático até a próxima década.”

Enquanto a última viagem da Nasa a Vênus foi a missão Magalhães, concluída em 1994, a ESA esteve lá mais recentemente. A Venus Express chegou ao planeta em 2006 e concluiu seus trabalhos no final de 2014. A agência espacial japonesa JAXA também mantinha uma nave nas proximidades de Vênus desde 2015, inspecionando a atmosfera. 

Contudo, o lançamento da ESA significará uma espaçonave carregada com tecnologia 25 anos mais avançada. Assim como as missões Vênus da NASA saíram do programa Discovery, que coloca grandes conceitos de espaçonaves um contra o outro em uma competição por financiamento, o orbitador EnVision estava competindo com Teseu (Transient High-Energy Sky e Early Universe Surveyor) para ser construído. O EnVision acabou recebendo a aprovação do comitê de ciência da agência, embora Teseu continue sendo interessante. Mas vai ficar para a próxima.

“Estamos entusiasmados em contribuir para essa missão tão empolgante que irá de investigar Vênus”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA para a ciência, no comunicado à imprensa. 

A sonda EnVision junta-se ao Orbitador Solar, Euclides, Platão e Ariel como missões da ESA que estão a caminho. O Solar Orbiter é a única missão lançada até agora; o resto virá ao longo da década de 2020. Depois disso, se tudo correr bem, o EnVision deixará sua marca na pesquisa espacial, sendo lançado entre 2031 e 2033 e chegando a Vênus cerca de três anos depois.

O que a ESA quer descobrir em Vênus?

Há vários mistérios sobre nosso vizinho quente, deserto e amarelo: Como o planeta ficou tão quente? Por que é tão tóxico? Ainda tem vulcões ativos? A vida poderia de alguma forma existir em sua atmosfera? Em resumo, por que Vênus é tão diferente da Terra?

Quase ao mesmo tempo que as missões VERITAS e DAVINCI + da NASA, o EnVision também irá a Vênus para descobrir. O EnVision é mais comparável ao VERITAS porque ambos são orbitadores; O DAVINCI + visa pousar na superfície. 

A nova sonda da ESA será equipada com instrumentos para desvendar a geologia do planeta, a estrutura interna, o campo gravitacional, a atmosfera e a composição da superfície. Juntos , as próximas missões nos darão uma visão refinada e abrangente do estado atual e da evolução de Vênus.

Assine a newsletter do Gizmodo

“A EnVision alavanca os pontos fortes no desenvolvimento de instrumentos de ambas as nossas agências. Combinado com as missões de descoberta da NASA para Vênus, a comunidade científica terá um conjunto poderoso e sinérgico de novos dados para entender como Vênus se formou e como a superfície e a atmosfera mudaram ao longo do tempo”, disse  Zurbuchen no comunicado.