Em comunicado à imprensa, o Airbnb anunciou o cancelamento de todas as reservas para Washington, capital dos EUA durante a semana de inauguração, como é chamada a cerimônia de posse do novo presidente. A empresa diz que “milícias armadas e grupos de ódio conhecidos” podem viajar para a cidade.

A empresa prometeu que todos os hóspedes serão reembolsados ​​e que pagará do próprio bolso o que os anfitriões ganhariam. Não está claro se os cancelamentos se estendem além da área metropolitana de Washington. O Airbnb não respondeu imediatamente aos pedidos de comentário.

A Airbnb tem tomado medidas há tempos para não hospedar terroristas domésticos em potencial. Em 2017, ela impediu que supremacistas brancos fizessem reservas antes da marcha Unite the Right e cancelou reservas dos Proud Boys (organização neofascista de extrema-direita) antes de um comício depois das eleições de 2020. Recentemente, a empresa afirmou que excluirá do serviço pessoas com envolvimento comprovado na invasão do Capitólio.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, e os governadores de Maryland e da Virgínia pediram a todos que fiquem em casa. Um agente do FBI disse à Associated Press que a agência identificou planos para “protestos armados” em todas as 50 capitais estaduais começando no sábado.

Ontem, o FBI anunciou que abriu 160 inquéritos contra invasores do Capitólio. Até agora, 70 pessoas foram acusadas, e a estimativa é que esse número chegue às centenas. Isso não parece ter impedido planos ainda mais radicais.

O deputado Conor Lamb, do Partido Democrata, disse à NBC News que a Polícia do Capitólio dos EUA informou os membros da Câmara sobre uma possível ameaça de que 4 mil rebeldes armados possam tentar invadir o Capitólio e impedir a entrada dos Democratas. “Eles publicaram regras de engajamento, ou seja, quando atirar e quando não”, acrescentou.