As empresas nos EUA estão comprando muitos iPads, mas a metade delas ainda não sabe o que fazer com os tablets quando os entregam aos funcionários. Claro que os iPads podem ser úteis no meio corporativo: o problema é que várias empresas compram o tablet primeiro, para descobrir utilidade depois.

Uma pesquisa da Model Metrics/Dimensional Research revelou que 68% das empresas gostam da ideia de usar um tablet no trabalho, e o iPad é o modelo preferido. Quase metade das empresas usam o iPad para realizar vendas, fornecer serviços ao consumidor, enviar relatórios de gastos e lidar com informações financeiras. Mas 51% das empresas ainda não têm uma estratégia clara para integrar os tablets.

Isso quer dizer que tablets são inúteis para empresas? Pelo contrário: empresas grandes e pequeas usam tablets para exibir o catálogo de produtos a seus clientes, e para trabalhar fora do escritório sem o limite de tamanho de um smartphone. Como explica Oliver Bussmann, CIO da SAP – empresa que adotou fortemente o iPad – tablets em empresas servem para “desenvolvimento, distribuição e serviços e gestão”. E tablets não substituem computadores: mesmo na pesquisa, 82% dos entrevistados disseram que os tablets complementam laptops, em vez de substituí-los.

As empresas só precisam incorporar tablets – seja o iPad, PlayBook ou tabuletas com Android – na estratégia de TI, caso o aparelho seja mesmo interessante para elas. Da mesma forma que o tablet não é para qualquer consumidor – para você, um smartphone ou um netbook pode bastar – tablets não servem para todo tipo de empresa. [Model Metrics via CNET e MaximumPC]