A Alphabet é dona do Google e de empresas como a Sidewalk Labs, dedicada a tornar nossas cidades mais inteligentes. Ela deu pistas de que estaria construindo seu próprio laboratório em escala urbana, e parece que já tem cerca de 100 especialistas trabalhando neste plano chamado “Project Sidewalk”.

O CEO da Sidewalk Labs, Dan Doctoroff, vai apresentar esta ideia em algumas semanas para o CEO da Alphabet, Larry Page, de acordo com o The Information, site que revelou os primeiros rumores sobre este projeto.

Atualmente, a Sidewalk Labs trabalha em duas iniciativas: o LinkNYC, que está transformando orelhões de Nova York em hotspots Wi-Fi gratuitos; e o Flow, focado em incentivar cidades a incorporar carros autônomos e outras soluções de transporte alternativo.

Ela pode precisar, no futuro, construir um espaço físico dedicado para testar seu conjunto crescente de ferramentas de tecnologia. No entanto, o Project Sidewalk pode abranger outras propriedades da Alphabet, como o carro autônomo do Google e a internet rápida do Google Fiber.

Uma decisão importante a se tomar ao construir uma utopia tecnológica é onde colocá-la. A Sidewalk Labs estaria discutindo se adapta uma cidade existente, ou se constrói uma cidade do zero. Ela precisaria ser grande o suficiente para acomodar centenas de milhares de pessoas, embora não esteja definido se elas vão apenas morar lá ou também trabalhar lá.

O Google já opera uma instalação de testes bem grande para seus carros autônomos em uma antiga base da Força Aérea, apelidada de “Castle”. E a nova sede da Alphabet será uma espécie de cidade.

Existe também a Mcity, cidade falsa do governo dos EUA em Ann Arbor, Michigan, onde veículos autônomos são testados. E temos a CITE (Centro de Inovação, Testes e Avaliação na sigla em inglês), uma cidade autossuficiente que está sendo construída no deserto do Novo México.

Eu entendo perfeitamente testes em larga escala são necessários para comprovar a viabilidade do trabalho da Sidewalk Labs. Mas eu acho que construir uma cidade do zero exclusivamente para esta finalidade pode ser um desperdício. Eu gostaria de ver a empresa assumindo controle de uma cidade existente que precisa de muita ajuda, e demonstrar como é possível usar a tecnologia para resolver seus problemas.

[The Information via Big Think]

Foto por University of Michigan