Durante uma entrevista coletiva na sexta-feira (13) para declarar o novo surto de coronavírus uma emergência nacional, o presidente Donald Trump e outros membros da Casa Branca revelaram que um site de triagem de coronavírus estava supostamente sendo desenvolvido pelo Google e que em breve estaria disponível em todo o país. Segundo Trump, 1.700 engenheiros da gigante de tecnologia estão trabalhando neste projeto e “eles fizeram um tremendo progresso” até agora.

A coordenadora federal de resposta ao coronavírus, Dra. Deborah Birx, ainda tinha um gráfico mostrando como funcionaria (e tenho certeza de que é ilegal os gráficos mentirem). Você apenas responderia a um questionário sobre seus sintomas e, dependendo dos resultados, o site o direcionaria para o centro de testes drive-through mais próximo, que atualmente não está disponível em todo os EUA – ao contrário de outros países que já têm há semanas -, mas o governo está trabalhando nisso. O site exibiria os resultados do seu teste em alguns dias.

Aparentemente, porém, isso também era novidade para o próprio Google. Provavelmente porque o presidente norte-americano conseguiu errar quase todos os detalhes sobre a iniciativa.

O anúncio confundiu os executivos do Google, disse uma fonte de dentro da empresa à WIRED. Embora outra empresa sob o guarda-chuva corporativo da Alphabet, a Verily, focada em saúde, de fato está atualmente construindo uma ferramenta de triagem para direcionar as pessoas aos testes do Covid-19 (a doença causada pelo vírus), neste momento isso não está nem perto da escala que o presidente descreveu. Logo após o anúncio de Trump, a equipe de comunicação e assuntos públicos do Google postou uma declaração da Verily no Twitter, entrando em mais detalhes:

“Estamos desenvolvendo uma ferramenta para ajudar na triagem de indivíduos para os testes de Covid-19. A Verily está nos estágios iniciais de desenvolvimento e planeja lançar testes em Bay Area, com a esperança de expandir mais amplamente ao longo do tempo”.

Em resumo: não é de âmbito nacional, não é fabricado pelo Google e, até Trump deixar abrir a boca, aparentemente nem seria disponibilizado publicamente. A chefe de comunicações da Verily, Carolyn Wang, disse ao Verge que este site de teste estava originalmente sendo projetado exclusivamente para profissionais de saúde.

Graças ao discurso do presidente, agora estará aberto para todos visitarem no lançamento. No momento, porém, ele só pode direcionar pessoas que exibem sintomas do Covid-19 para “locais-piloto” na área da baía. Wang disse ao Verge que espera expandir a ferramenta além da Califórnia “com o tempo”.

Tudo isso soa significativamente diferente do que a equipe da Casa Branca descreveu. Embora o conceito realmente soou exagerado, considerando como obstáculos burocráticos e outros atrasos têm deixado os EUA muito atrás de outros países quando se trata de fornecer kits de teste e torná-los facilmente disponíveis. O Covid Tracking Project confirmou 16.521 testes no país até quinta-feira. Atualmente, a Coreia do Sul eclipsa esse total em cerca de dois dias.

Quanto ao número de 1.700, foi mencionado em uma chamada de voluntários para toda a empresa que o CEO da Alphabet, Sundar Pichai, enviou na quinta-feira. Conforme relatado pela CNBC em primeira mão, Pichai emitiu um memorando que mencionava como “um esforço de planejamento está em andamento” para a Verily “ajudar nos esforços contra o COVID-19 nos EUA”, que pode ser daí que Trump tirou a ideia em primeiro lugar sem qualquer habilidade de interpretação de texto.

O vice-presidente Mike Pence, que deve anunciar mais sobre o site nos próximos dias, negou as afirmações do governo de que este, de fato, é um projeto executado pelo Google. Durante uma conferência de imprensa no sábado, Pence disse que acreditava que o site será lançado na segunda-feira e que “não poderia ser mais grato a todas as pessoas do Google que criaram isso”.

No entanto, ele corrigiu a afirmação de que essa ferramenta seria inicialmente acessível em todo o território dos EUA, explicando que seria lançada na área da baía antes de chegar a todo o país.

“O objetivo aqui é criar um site muito rapidamente, primeiro para as pessoas que foram profundamente impactadas” em áreas como Califórnia e Nova York, disse Pence. Detalhes adicionais sobre o site estão por vir em breve, acrescentou.

Verily e o Google não responderam imediatamente às perguntas do Gizmodo e também não fizeram nenhum comentário público sobre uma data de lançamento planejada ou um cronograma definitivo para expansão em todo o país.

Quando o site da Verily – o atual, e não o que o presidente estava falando – for ao ar, ele estará disponível no Project Baseline, a ferramenta da empresa para conectar usuários a estudos de pesquisa clínica. Nos EUA, até o momento, houve mais de 2.000 casos confirmados de Covid-19 em 47 estados e Washington D.C., além de 41 mortes relatadas.