Nos primeiros meses, a vida com um novo bebê em casa é cheia de estresse e preocupação. Eles estão dormindo bem? Eles rolaram demais? Eles ainda estão respirando? Mas em breve poderá haver algum alívio para toda essa ansiedade, já que os pesquisadores desenvolveram um novo truque para alto-falantes inteligentes que permite monitorar o sono de uma criança sem nenhuma atualização de hardware.

A pesquisa, realizada na Universidade de Washington, aproveita o hardware já incluído em todos os alto-falantes inteligentes: o próprio speaker, uma variedade de microfones e conectividade sem fio que permite o processamento de dados na nuvem. BreathJunior, o recurso baseado em software desenvolvido pela equipe, começa preenchendo uma sala com ruído branco, que é uma combinação aparentemente aleatória de frequências variadas que soa como um silvo suave. O ruído branco ajuda a mascarar outros sons que possam ser um distúrbio, o que ajuda o bebê a adormecer e continuar dormindo.

Mas o ruído branco que emana de um alto-falante inteligente eventualmente retorna aos microfones embutidos depois de refletir nos objetos na sala, incluindo o bebê. Como o software BreathJunior conhece os padrões aleatórios do ruído branco que está criando inicialmente, ele pode cancelar tudo, menos a aleatoriedade adicionada que é introduzida à medida que os sons atingem uma criança. Ao processar de maneira inteligente a diferença, o software é capaz de discernir os movimentos enquanto ela rola na cama.

Pesquisadores da Universidade de Washington desenvolveram um novo recurso de alto-falante inteligente que permite que um dispositivo use ruído branco para acalmar bebês dormindo e monitore sua respiração e movimentos. Foto: Dennis Wise – Universidade de Washington

Detectar os movimentos incrivelmente sutis de uma respiração infantil foi um pouco mais complicado, de acordo com os pesquisadores . Eles descobriram que as variações criadas à medida que o ruído branco se reflete no tórax de um bebê são incrivelmente fracas e difíceis de detectar, mas aproveitando os vários microfones incluídos em alto-falantes inteligentes maiores, os pesquisadores foram capazes de identificar onde exatamente uma criança estava dormindo em uma sala e, em seguida, concentrar seu processamento de sinal nos sons refletidos provenientes dessa direção específica, o que produziu melhores resultados e precisão.

Em testes realizados na unidade de terapia intensiva neonatal de um hospital, os pesquisadores puderam comparar os resultados do recurso BreathJunior de alto-falante inteligente com monitores respiratórios de nível profissional e descobriram que não apenas era possível detectar taxas de respiração variando de 20  a 65 respirações por minuto, como ele também foi capaz de reconhecer padrões respiratórios anormais, como apneia.

A nova habilidade, que, pelo menos em teoria, poderia ser instalada e executada em alto-falantes inteligentes como o Amazon Echo ou o Google Home, poderia dar aos pais uma tranquilidade extra e evitar que eles gastassem centenas de dólares em outras tecnologias de monitoramento de bebês quando eles já têm todo o equipamento necessário ao checar a previsão do tempo todas as manhãs.